Aras isenta Bolsonaro, MPs aceleradas e mais notícias da noite de 27 de março


Da CNN, em São Paulo
27 de março de 2020 às 21:35 | Atualizado 27 de março de 2020 às 21:37

O papa fazendo missa em uma praça de São Pedro vazia, Aras analisando e isentando Bolsonaro de crime em sua fala sobre o coronavírus, os novos números da doença no Brasil e o pacote econômico sancionado por Trump estão entre as notícias da noite desta sexta-feira, 27 de março de 2020.

Atualização dos números

O número de mortos pelo novo coronavírus no Brasil chegou a 92. O total de casos confirmados foi para 3.417. De ontem para hoje, o salto foi de mais de 502 infectados.

Sem comentários

O Ministério da Saúde não quis comentar o conteúdo do discurso do presidente Jair Bolsonaro a favor do isolamento vertical, que abarcaria apenas idosos e portadores de doenças pré-existentes. O órgão informou, no entanto, que sua orientação não muda: ficar em casa ainda é a melhor forma de combater a COVID-19.

Aras isenta

O âncora da CNN Daniel Adjuto informou que o procurador-geral, Augusto Aras, não viu indício de crime no pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro. Para Aras, o presidente exerceu sua liberdade de expressão. Em cadeia nacional de rádio e TV, Bolsonaro tratou o coronavírus como “gripezinha” e “resfriadinho”.

EUA vs coronavírus

O presidente Donald Trump sancionou o pacote de estímulo econômico de US$ 2,2 trilhões. O dinheiro será utilizado para reduzir o impacto da pandemia na economia do país.

MP acelerada

O supremo autorizou que o congresso adote um procedimento simplificado na votação de medidas provisórias editadas pelo governo. A decisão do ministro Alexandre de Moraes é uma forma de minimizar o risco de que atos percam a validade por não terem sido apreciados dentro do prazo, que é de 120 dias. Por conta do coronavírus, o Congresso está fazendo deliberações em sistema remoto.

Papa é pop

Nas redes sociais um dos destaques foi o papa Francisco, que fez hoje uma oração em meio à emergência do novo coronavírus. A praça São Pedro, geralmente lotada com milhares de fiéis, estava vazia por conta das restrições na Itália. A bênção, conhecida como “urbi et orbi” --que significa à cidade e ao mundo-- geralmente é concedida pelo papa na Páscoa e no Natal.