Justiça de Goiás proíbe aglomerações até 30 de abril em razão do coronavírus

Governador Ronaldo Caiado informou que recebeu neste domingo (29) um oficial da Justiça com a decisão e disse que a ordem será cumprida no estado

Gabriela Coelho Da CNN, em Brasília
29 de março de 2020 às 11:08 | Atualizado 29 de março de 2020 às 11:08
A Justiça de Goiás proibiu a realização de manifestações e aglomerações em Goiás até o dia 30 de abril como forma de conter a pandemia do novo coronavírus.


No Twitter, o governador Ronaldo Caiado informou que recebeu neste domingo (29) um oficial da Justiça com a decisão e disse que a ordem será cumprida no estado.

A decisão do magistrado diz buscar a preservação da saúde dos goianos e determina que o estado garanta o cumprimento.

“Será cumprido conforme a justiça determinou. Já informei a todos os responsáveis pela fiscalização em Goiás que a justiça proibiu manifestações e aglomerações”, disse.

Rio de Janeiro

Ontem, após ação ajuizada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, a Justiça proibiu a realização de uma carreata contra o isolamento para conter o avanço do coronavírus, prevista para acontecer às 10h de sábado.

A concentração do evento, que fazia parte da campanha "O Brasil não pode parar", do Governo Federal, foi no estacionamento de um supermercado na Barra da Tijuca, e os carros partiriam em direção ao Palácio Guanabara. A decisão, da juíza Lívia Bechara de Castro, prevê multa por descumprimento de R$ 50 mil.