Hospital de campanha em Brasília será no estádio Mané Garrincha

Estrutura ficará pronta em 15 dias e contará com 60 leitos com suporte respiratório

Natália André Da CNN, em Brasília
30 de março de 2020 às 16:36
Estádio Mané Garrincha irá virar hospital de campanha
Foto: Breno Esaki/Divulgação

Em 15 dias, o Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, funcionará como hospital de campanha, com 60 leitos com suporte respiratório para o atendimento de pacientes em remissão do novo coronavírus --ou seja, pessoas que já saíram da UTI do hospital de referência da COVID-19 no Distrito Federal, o HRAN (Hospital Reginal da Asa Norte), mas que precisam continuar se recuperando em uma unidade de saúde. 

Numa segunda fase, de acordo com o secretário de Saúde do DF, Francisco Araújo, o total será de 200 leitos com respiradores. Neste primeiro momento, o HRAN receberá 100 leitos de UTI de retaguarda e, no futuro ainda sem prazo, serão 300.

Nesses 15 dias, também estão previstos os seguintes reforços para o sistema de saúde do DF: 300 mil testes rápidos de diagnóstico, 30 mil unidades de álcool em gel, 300 ventiladores pulmonares e sete ambulâncias.

No hospital de campanha, o tempo máximo de permanência de cada paciente, na previsão da secretaria, é de 14 dias.