Coronavírus no Brasil, a chegada de mais testes e mais da noite de 30 de março

5 Fatos Noite, apresentado por Daniela Lima

Da CNN, em São Paulo
30 de março de 2020 às 21:31

A possível antecipação do ingresso de estudantes de medicina no mercado de trabalho para ajudar no combate ao novo coronavírus no Brasil, os ex-presidenciáveis que se uniram para pedir a renúncia do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e a chegada de 500 mil testes rápidos da COVID-19 ao país são os principais destaques do 5 Fatos Noite desta segunda-feira, 30 de março.

Combate ao coronavírus

O Ministério da Saúde tenta antecipar o ingresso de estudantes de medicina no mercado de trabalho. A ideia é permitir que alunos que tenham 75% do curso possam colar grau para auxiliar no combate ao novo coronavírus. A informação é da analista de política da CNN Renata Agostini.

Ciro e Haddad

Pela primeira vez desde as eleições de 2018, dois dos principais nomes da oposição a Jair Bolsonaro se uniram. Ciro Gomes e Fernando Haddad assinaram um manifesto dizendo que, o ideal, seria o presidente renunciar, mas afirmam que ele não tem "grandeza" para isso. O texto aponta Bolsonaro como um risco à saúde pública.

Oposição a Bolsonaro

Partidos de oposição foram ao Supremo com uma notícia-crime contra Bolsonaro. Motivo: a decisão do presidente de sair às ruas, no domingo, para falar com seus eleitores em meio à pandemia.

COVID-19 no Brasil

O número de vítimas do novo coronavírus chegou a 159. E o de casos, agora, chegou a 4.579.

Ministério da Saúde

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou a chegada de 500 mil testes rápidos do novo coronavírus ao país. Ele não negou tensões com o presidente, mas diz que permanece no cargo enquanto o chefe quiser. Mandetta voltou a recomendar o isolamento social contra a COVID-19.