Flagrado com 15 mil testes de COVID-19, grupo é preso por tempo indeterminado

Grupo de 14 pessoas foi pego com carga de testes e equipamentos que vale R$ 3 milhões

Da CNN, em São Paulo
12 de abril de 2020 às 17:54 | Atualizado 12 de abril de 2020 às 19:06
Funcionário com roupa de proteção no aeroporto de Guarulhos
Foto: Roosevelt Cassio/Reuters (1º.abr.2020)

A Justiça de São Paulo decretou neste domingo (12) a prisão preventiva por tempo indeterminado do grupo de 14 pessoas flagrado com 15 mil testes roubados de COVID-19.

Além dos kits, também foram encontrados 2 milhões de equipamentos de proteção. Ao todo, a carga era negociada por R$ 3 milhões. A operação da Polícia Civil se fez passar por possível comprador para flagrar a quadrilha, composta por brasileiros e chineses.

A decisão da juíza Erika Fortes diz que os indiciados planejavam outra ação semelhante e chamou de "audácia" a conduta diante da situação pandêmica e a falta de itens de prevenção em todo o mundo.

Um dos presos, Marcos Zheng, é o dono do imóvel onde os itens foram encontrados e é apontado como líder do grupo. Segundo a magistrada, Zheng é responsável por várias negociações e intermediações entre a Secretaria Estadual de Saúde, o governo do estado e empresas chinesas.

Empresários do ramo hospitalar também estavam no local na hora da apreensão e foram detidos. De acordo com a Justiça, eles estavam ali para negociarem equipamentos para o enfrentamento ao novo coronavírus.

Com informações do Estadão Conteúdo