Caixa já aprovou 39% dos inscritos para receber auxílio de R$ 600 do governo

O governo já transferiu o valor de R$ 5,4 bilhões para a Caixa, que deve fazer os pagamentos desse lote a partir da noite desta quinta-feira

Noeli Menezes Da CNN, em Brasília
16 de abril de 2020 às 11:49 | Atualizado 16 de abril de 2020 às 11:54
O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni
Foto: Alan Santos - 3.abr.2020/PR

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira (16) que dos mais de 23 milhões microempreendedores individuais, contribuintes individuais do INSS e trabalhadores informais que se cadastraram entre 7 e 10 de abril para receber o auxílio emergencial de R$ 600, cerca de 9 milhões foram habilitados a receber o benefício, o equivalente a 39% do total.

O governo já transferiu o valor de R$ 5,4 bilhões para a Caixa, que deve fazer os pagamentos desse lote a partir da noite desta quinta-feira (16), de acordo com o ministro.

Outros 7 milhões de inscritos são elegíveis, mas ainda não tiveram o cadastro aprovado. “Desses 9 milhões de aprovados, nos encontramos em torno de quase 70 mil presidiários.

Ou seja, presidiários com CPF válido tentaram burlar o sistema. Mas esse auxílio não é para presidiário, não. É para pessoas de bem", afirmou Lorenzoni.

Antonio José Barreto, secretário-executivo do Ministro da Cidadania, afirmou que a liberação de CPFs que estavam bloqueados acabou colocando o sistema de cadastro do auxílio emergencial sob maior risco de fraude.

Barreto disse ainda que o ministério trabalha para dar mais agilidade aos pagamentos. "Fizemos as adequações necessárias no sistema e vamos entrar em velocidade de cruzeiro nos próximos dias."

"Esse é o maior movimento de política social nesse intervalo de tempo que se tem notícia. Nesta quinta-feira pagaremos 4,1 milhões de brasileiros, amanhã, mais 7 milhões de pessoas de todos os lotes. Também vamos antecipar o pagamento de pessoas que fizeram o cadastro no APP da Caixa para amanhã e no final de semana porque dia 21 é feriado", disse Pedro Guimarães, presidente da Caixa.