Maranhão usa rota alternativa para comprar respiradores e driblar concorrência

Aparelhos foram transferidos da China pela Etiópia antes da carga chegar ao Brasil

Giovanna Bronze Da CNN, em São Paulo
16 de abril de 2020 às 13:48
O Governo do Maranhão comprou 107 respiradores que chegaram ao estado por uma rota alternativa após ter dificuldades na aquisição dos equipamentos para tratamento de pacientes com Covid-19.

A informação foi revelada pela Folha de S.Paulo e confirmada à CNN pela assessoria do governador Flávio dino (PCdoB): a compra foi negociada com uma empresa de Guangzhou, na China, e enviada à Etiópia. Do país africano, os respiradores seguiram até São Paulo onde foram transferidos até o Maranhão em um voo fretado.

Em março, o governador havia reservado respiradores de uma fábrica em Santa Catarina, mas o Governo Federal bloqueou o pedido para serem distribuídos pelo Ministério da Saúde.

Depois, o estado fez um pedido de 150 respiradores da China, mas a Alemanha fez uma oferta maior pelos equipamentos. Dessa vez, o governo montou essa estratégia alternativa, via Etiópia, para evitar a concorrência internacional. 

Segundo o governo do Maranhão, os respiradores serão distribuídos para as unidades de saúde com maior ocupação de leitos por pacientes com coronavírus.