Casos de Covid-19 entre indígenas crescem 250% em menos de uma semana

Giovanna Bronze Da CNN, em São Paulo
17 de abril de 2020 às 13:01 | Atualizado 17 de abril de 2020 às 13:03
Diagnósticos de coronavírus avançam entre indígenas
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Os casos de coronavírus entre indígenas aumentaram mais de 250% em menos de uma semana. O registro é feito pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), do Ministério da Saúde, que contabilizou 23 casos confirmados de Covid-19 entre os povos nativos, no boletim emitido até às 18h30 de quinta-feira (16). No relatório da segunda-feira, dia 12 de abril, a SESAI registrava apenas 9 casos confirmados, uma alta de 255,55% em 5 dias.

De acordo com a Secretaria, 22 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), 64% do total no país, notificaram registros de Covid-19. Desses, 25 casos suspeitos ainda estão sendo investigados. No total, foram notificados 94 casos para a Secretaria até a tarde de 16 de abril.

A Secretaria Especial de Saúde Indígena também já registrou 3 mortes por coronavírus até o momento.O órgão registra apenas os casos de indígenas que moram em aldeias ou são atendidos pelos Distritos Sanitários Especiais Indígenas no país. Os que moram em cidades ou em locais que não são atendidos por um DSEI não são contabilizados nos boletins da secretaria do Ministério da Saúde.

Casos confirmados

O primeiro caso de coronavírus confirmado entre indígenas foi divulgado pelo Ministério da Saúde em 8 de abril. Os diagnósticos foram registrados em 5 distritos, sendo eles em Alto Rio Solimões (8 casos), Manaus (12 casos), Médio Rio Purus (1 caso), Parintins (1 caso) e Yanomami (1 caso). Todos estão concentrados na região Norte do país. 

Dos 23 casos, 12 (52,2%) dos infectados são mulheres e 11 (47,8%) são homens, sendo que a média de idade é 32 anos. A SESAI já registrou casos de Covid-19 entre indígenas de menos de 1 ano até 79 anos. A faixa etária mais afetada é de 20 a 39 anos, com 10 casos confirmados.

Mortes entre indígenas

Até o boletim divulgado em 16 de abril, a Secretaria registrou 3 mortes de indígenas, 2 morreram em Manaus (AM) e 1 em Boa Vista, (RR). A morte em Roraima foi de um adolescente de 15 anos da etnia Yanomami, o primeiro caso da Covid-19 esses indígenas no país.

Na manhã desta sexta-feira (17), a SESAI divulgou uma nota à imprensa, em que comunica a morte de Tuxaua, liderança indígena da etnia Sateré-Mawé do Amazonas. O indígena aguardava o teste de contraprova para confirmar se tinha coronavírus. A informação de causa da morte ainda não foi divugada.

Segundo a Secretaria Especial de Saúde Indígena, o coeficiente de mortalidade registrado é de 3,9 a cada milhão de habitantes. o coeficiente do país inteiro é de 9 a cada milhão de habitantes.