Restrições em MG precisam ser reavaliadas a cada semana, defende deputado

João Vítor Xavier (Cidadania) cobrou uma posição da prefeitura de Belo Horizonte. "[Esperamos] que o poder público faça um planejamento de retorno bem feito"

Da CNN, em São Paulo
23 de abril de 2020 às 15:49


O deputado estadual mineiro João Vítor Xavier (Cidadania) defendeu a volta gradual das atividades econômicas em Belo Horizonte. “[Esperamos] que o poder público faça um planejamento de retorno bem feito. Ninguém defende um retorno indiscriminado e irresponsável”, declarou em entrevista à CNN nesta quinta-feira (23).

Segundo Xavier, há falta de diálogo por parte da prefeitura com o empresariado. “A pandemia se espalhou em cidades cosmopolitas com grande fluxo de turismo internacional, o que não é o caso de Belo Horizonte”, afirmou.

O deputado defendeu que a situação seja analisada semana a semana e fez uma referência ao Dia das Mães, que será no dia 10 de maio, como uma data essencial para o comércio. “O empreendedor neste momento não tem condições de fazer um planejamento [para voltar à normalidade]”. 

Apesar de defender a reabertura do comércio, o deputado estadual acredita que não é o momento das escolas retornarem às suas atividades. “Pelos dados que recebemos de hospitais públicos, as crianças apresentam [cerca de] 60 a 70% do atendimento”, referindo-se aos meses de inverno, nos quais há um aumento significativo dos casos de doenças respiratórias. “Elas podem colapsar o serviço de saúde." 

Quarentena em MG

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), declarou nesta quinta-feira (23) que o estado não está relaxando medidas de isolamento. “Nós não estamos relaxando as medidas de segurança, quem puder ficar em casa, que fique. Quem é grupo de risco, que tome precauções. Por mais que a gente seja cuidadoso, o vírus vai continuar no meio da sociedade”.

Em relação à retomada das atividades no comércio, Zema afirmou que os prefeitos poderão decidir a respeito. “A decisão final sobre a reabertura vai caber a cada prefeito. Eu, como governador, quero que isso seja conduzido da forma mais transparente possível”. 

O governador ainda ressaltou que cada cidade está em uma situação diferente, e que as particularidades devem ser analisadas. 

O deputado João Vítor Xavier elogiou a postura de Zema. “O governador foi sensato em sua fala". O que se discute [aqui] é um planejamento. Isso é gestão pública, e isso se faz estudando indicadores, que são favoráveis a Belo Horizonte”, ressaltou.

Durante a entrevista, Xavier elogiou a disciplina da população de Belo Horizonte. “Estamos conseguindo achatar a curva”. 

“Temos informações através da rede de saúde pública que é possível termos uma abertura de 2 mil leitos [nos hospitais], sendo 500 leitos de UTI, e 1500 leitos de enfermaria”, afirmou o deputado. “Belo Horizonte tem margem de manobra para fazer planejamento. [É preciso] permitir que pequenos negócios funcionem, com medidas de higiene”, reforça.  

O deputado disse que não vê “movimentos de pressão” em Belo Horizonte, como protestos por parte do empresariado. “Vejo pressão para que o assunto seja discutido de maneira adequada. Para que haja um processo de debate”, concluiu. 

No estado de Minas Gerais, há 1.308 casos confirmados de COVID-19 e 51 mortes, de acordo a Secretaria Estadual de Saúde.