Após decisão do STF, policiais federais defendem nomeação de Ramagem

Em nota, a Fenapef diz que aguardará "a reversão" da decisão do ministro Alexandre de Moraes, que suspendeu indicado do presidente da República

Da CNN, em São Paulo
29 de abril de 2020 às 14:03

O delegado da Polícia Federal Alexandre Ramagem, indicado do presidente da República Jair Bolsonaro para assumir a direção da instituição
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) publicou, nesta quarta-feira (29), uma nota de apoio à nomeação do delegado Alexandre Ramagem para a diretoria-geral da instituição. 

A mensagem foi em resposta ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Morais, que suspendeu, na manhã de hoje, a nomeação de Ramagem para o cargo.

“A Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) declara que segue firme em seu posicionamento de acreditar que Alexandre Ramagem é um bom quadro da PF e que aguardará a reversão dessa decisão pelo Pleno do STF, permanecendo em defesa da independência e autonomia investigativa para a corporação”, afirmou a união de profissionais, ressaltando acreditar na isenção do indicado do presidente da República. 

Leia também:

Alexandre de Moraes suspende nomeação de Ramagem para a PF

Escolha de Ramagem para dirigir PF é questionada por laços com família Bolsonaro

Alexandre Moraes é o relator de uma ação protocolada pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), que questionou a escolha do presidente Jair Bolsonaro poucos dias depois dele ser acusado pelo ex-ministro Sergio Moro de interferir politicamente na PF para ter acesso a informações sigilosas de investigações.  

A posse do novo diretor-geral da Polícia Federal, que atuou na Operação Lava Jato do Rio de Janeiro e foi coordenador de segurança de Bolsonaro durante sua campanha, estava agendada para esta quarta, às 15h. 

“A Fenapef ressalta, ainda, que o momento exige estabilidade na PF, pois, muito além da crise política que alveja a instituição, os casos de infecção pela Covid-19 nos policiais federais seguem aumentando”, concluiu a federação, pedindo agilidade das decisões da Justiça sobre a futura liderança.