Crivella vai estender isolamento social no Rio

Medidas se encerrariam nesta quinta-feira (30). Questionado sobre até quando o decreto de isolamento será estendido, o prefeito não estipulou data.

Estadão Conteúdo
28 de abril de 2020 às 22:55
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos)
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

As medidas de isolamento social para evitar a disseminação do novo coronavírus no município do Rio de Janeiro, que se encerrariam na quinta-feira (30), serão estendidas para o mês de maio, segundo o prefeito da cidade, Marcelo Crivella (Republicanos). O decreto que proíbe o funcionamento de escolas da rede municipal e de parte do comércio está em vigor desde 24 de março e será mantido por um prazo ainda não informado por Crivella.

Segundo o prefeito, o isolamento só começará a ser relaxado quando a incidência de casos de COVID-19 começar a cair na cidade. Por enquanto, a curva de casos está crescendo.

"Com o hospital de campanha (do Riocentro, que será aberto com capacidade parcial na próxima sexta-feira) em pleno funcionamento, creio que as nossas curvas (de contaminação) vão cair. Caindo as curvas, as atividades voltam normalmente. Mas não será agora, no dia 30. Vamos renovar o prazo e continuar com o isolamento social", disse Crivella nesta terça-feira (28). Questionado sobre até quando o decreto de isolamento será estendido, o prefeito não estipulou data.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Beatriz Busch, a ocupação dos leitos de UTI reservados a pacientes de COVID-19 na rede municipal oscilava entre 93% e 95% nesta terça. O Hospital de Campanha do Riocentro, na zona oeste do Rio, será inaugurado com 100 leitos, sendo 20 de UTI, segundo Crivella.