Helder Barbalho: isolamento só de 50% não bastou para conter Covid-19 no Pará


Da CNN, em São Paulo
06 de maio de 2020 às 08:13 | Atualizado 06 de maio de 2020 às 08:41

Em entrevista à CNN, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), disse nesta quarta-feira (6) que a taxa de 45% a 50% da população em isolamento não foi suficiente para conter o avanço do novo coronavírus no estado, e por isso o governo optou pelo lockdown, o bloqueio total das atividade. A medida passará a valer a partir desta quinta-feira (7) em Belém e outras nove cidades.

"A decisão do governo passa a vigorar a partir de amanhã de forma educativa, seguindo até sábado. A partir de domingo, passaremos a fazer valer todas as medidas punitivas para quem insistir em circular", afirmou Barbalho. "É uma medida drástica depois de 50 dias de luta para o isolamento."

O governador afirmou os dez municípios abordados na decisão estão com 50% acima da média de contaminação do estado. Ele disse que os serviços essenciais funcionarão normalmente, como supermercados, postos de gasolina, casas lotéricas e serviços de saúde. Contudo, o que não estiver nessa categoria, será proibido.

Barbalho ressaltou que, de quinta a sábado, a medida será apenas educativa, com “abordagem através do diálogo”. A partir de domingo, “todas as multas e repercussões para aqueles que insistirem nas infrações passarão a valer plenamente”.

Ele declarou que a medida é “um apelo para poder salvar as vidas dos paraenses” e o governo acompanhará diariamente a situação do avanço da Covid-19 no estado, em busca do achatamento da curva de contágio. 

Assista e leia também:
Entenda a diferença entre isolamento social e lockdown
Pará já tem 91% dos leitos de UTI ocupados, segundo Helder Barbalho
Helder Barbalho pede que Ministério da Saúde envie respiradores ao Pará

O lockdown nas dez cidades do Pará valerá até o dia 17 de maio, mas o governador ressaltou que o prazo pode ser ampliado, se for necessário. “Apelamos à população para que façamos todos juntos esse esforço. Se ele for efetivo, sairemos o quanto antes dessa situação de ampliação de isolamento”, disse ele.

Barbalho pediu a compreensão da sociedade para evitar uma perda ainda maior de vidas. Ele citou as medidas econômicas determinadas pelo governo para auxiliar os micro e pequenos empreendedores e trabalhadores informais, e disse que ampliou o número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Pará, totalizando 443 exclusivos para o tratamento da Covid-19 na região metropolitana e no interior.

Para o governador, o aumento dos casos no estado não é consequência do descaso da população em seguir as medidas de restrição, mas que há outros fatores envolvidos, como necessidade econômica.

“A Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde estabelecem que a meta para que o isolamento seja efetivo na prevenção seja de 70%. Não conseguimos chegar nesse patamar”, disse Barbalho.

Segundo ele, o aumento no número de pessoas infectadas pressiona os sistemas público e privado de saúde. “Queremos evitar que esse colapso ocorra”, afirmou o governador.