Papa está preocupado com doentes por Covid-19 e rezando por nós, diz dom Odilo

Pontífice telefonou para o arcebispo de São Paulo e conversou sobre a situação na capital paulista, epicentro da pandemia do novo coronavírus no Brasil

Juliana Faddul, da CNN em São Paulo
09 de maio de 2020 às 15:01 | Atualizado 09 de maio de 2020 às 15:15
Papa Francisco
Foto: Andreas Solaro/Pool via Reuters

O papa Francisco conversou por telefone na manhã deste sábado (9) com o arcebispo de São Paulo, cardeal dom Odilo Scherer, sobre a situação da Covid-19 na capital paulista, epicentro da pandemia no Brasil. Segundo comunicado da Arquidiocese de São Paulo assinado por dom Odilo, o pontífice manifestou "grande preocupação pelo número crescente de doentes e pelas perdas de vidas humanas", e disse que "estava orando por nós".

A ligação durou cerca de cinco minutos e foi falada em italiano. De acordo com o comunicado, o papa quis saber como estão os pobres durante a pandemia "e expressou sua preocupação pela situação deles, sabendo que nem sempre eles têm casa, nem condições adequadas para seguir as medidas preventivas contra o contágio."

Leia também:

Coronavírus mata 10 mil brasileiros em 53 dias

Chegou a hora de considerarmos o lockdown completo, defende infectologista

À CNN, dom Odilo se disse emocionado com o telefonema do pontífice. "Não é todo dia que o Papa te liga", disse. O arcebispo enfatizou que "o trabalho da Igreja não parou"

"Somos uma instituição religiosa, de fé e esperança, que dá conforto e assistência aos doentes. Ofereceremos o serviço de conforto e também o de caridade, principalmente aos que se encontram em situações aflitas", afirmou. "Não podemos celebrar a missa de maneira presencial, mas estamos fazendo o máximo que podemos: transmitimos nossa mensagem via internet e redes sociais. Seguiremos assim até voltar o contato social."

Segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, até sexta-feira (8), 3.416 pessoas morreram por Covid-19 no estado de São Paulo. No Brasil, já são 10.020 vítimas fatais, de acordo com levantamento feito pela CNN com as secretarias estaduais de Saúde.