RJ: após queda de luz, 2 pacientes com Covid-19 morrem em hospital de referência

Responsável pelo Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, prefeitura do Rio de Janeiro negou que óbitos tenham relação com a falta de luz na unidade

Maria Mazzei e Giovanna Bronze, da CNN
09 de maio de 2020 às 02:54
Fachada do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, no Rio de Janeiro
Foto: Hospital Municipal Ronaldo Gazolla/ Reprodução

Dois pacientes que estavam internados da UTI do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, na Zona Norte do Rio de Janeiro, morreram na tarde desta sexta-feira (7) após faltar luz na unidade. De acordo com o presidente do Sindicato do Médicos do Rio de Janeiro, Alexandre Telles, a falta de energia aconteceu por volta das 13h20. 

“Fatou luz e o gerador demorou mais ou menos oito minutos para ligar. Os ventiladores mecânicos não tinham carga de bateria e pararam. Os pacientes foram reanimados, mas dois não resistiram” relato o médico. 

O médico denunciou ainda que, embora a unidade seja referência na cidade para atendimento de coronavirus, tem faltado os medicamentos midazolan e fentanil, fundamentais para entubar e sedar os pacientes graves de Covid-19. Segundo ele, no último fim de semana não havia uma caixa dos remédios no hospital.

Em nota, a prefeitura do Rio de Janeiro lamentou as mortes, mas declarou que os óbitos não têm relação com a queda de luz.

Veja, abaixo, a nota da prefeitura:

"Lamentamos profundamente a morte de um paciente, que estava em estado grave na UTI, às 13h35 desta sexta-feira (08/05), no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla. Mas NÃO há qualquer relação entre a queda de energia ocorrida na unidade com o óbito. 

Os equipamentos que estavam em uso pelo paciente – respirador, monitor e bombas infusoras – continuaram funcionando com suas baterias próprias.

A falta de luz na unidade ocorreu às 13h19 e o gerador foi imediatamente acionado, levando um minuto e 25 segundos para entrar em operação. A Light, responsável pelo fornecimento de energia na cidade, também foi acionada imediatamente."