Prefeitura de Belo Horizonte instala barreiras sanitárias para entrada na cidade

Quem passar por um dos dez pontos distribuídos pela cidade terá que passar por rastreamento clínico; outras oito estruturas ainda devem ser montadas

Flávia Martins e Caroline Louise Da CNN, em São Paulo e Belo Horizonte
18 de maio de 2020 às 17:27
Dez barreiras sanitárias começaram a funcionar em Belo Horizonte na manhã desta segunda-feira
Foto: Divulgação/ BH Trans


Dez barreiras sanitárias começaram a funcionar em Belo Horizonte na manhã desta segunda-feira (18). As estruturas foram montadas em diferentes pontos da cidade por tempo indeterminado e têm como objetivo fazer o rastreamento clínico daqueles que pretendem entrar na cidade. 

De acordo com o decreto assinado pelo prefeito Alexandre Kalil na última sexta (15), outras oito barreiras ainda devem ser instaladas, totalizando 18 pontos de controle e fiscalização na cidade.

Nos locais determinados pela autarquia, agentes da Secretaria Municipal de Saúde atuam de forma compulsória com um protocolo clínico previamente definido que orienta a medição de temperatura e ao preenchimento de um questionário. 

Além do rastreamento clínico, as pessoas devem responder sobre possíveis sintomas gripais e contato recente com pessoas contaminadas ou com suspeita de coronavírus. Caso sejam observados sintomas da doença, as pessoas recebem orientação e são encaminhadas a unidades de saúde. 

O objetivo destas medidas é ter um controle mais detalhado da circulação de pessoas entre munícipios e obter dados para a análise e aplicação das secretarias responsáveis. Assim, será possível a criação ou alteração de medidas de contenção e combate ao coronavírus, bem como a revisão de prazo de reabertura gradual do comércio que está prevista para o próximo dia 25. 

Carros que estiverem saindo da capital serão dispensados da fiscalização, assim como carros oficiais e ambulâncias em serviço. 

De acordo com a prefeitura, em caso de descumprimento das solicitações feitas pelos agentes da prefeitura, a Polícia Militar poderá ser acionada e a pessoa estará sujeita a responsabilização civil e criminal. 

Até o início da tarde desta segunda, passaram pelos pontos de triagem 1.668 veículos e 3.768 pessoas, das quais 27 foram orientadas a buscar atendimento.