Câmara de São Paulo quer antecipar votação para reabertura do comércio

Presidente da Câmara, Eduardo Tuma, prevê reabertura controlada do comércio na capital em meados de junho

Da CNN
19 de maio de 2020 às 08:46 | Atualizado 19 de maio de 2020 às 08:48

A Câmara Municipal de São Paulo quer antecipar a votação de projetos de reabertura do comércio na cidade. O vereador Eduardo Tuma (PSDB), presidente da Câmara Municipal de São Paulo, diz que serão contemplados comérico varejista, atacadista, bares, restaurantes, locais de reunião, academias, shoppings e grandes centros comerciais
 
Em entrevista concedida à CNN nesta manhã de terça-feira (19), Tuma falou que a Câmara  apresenta um texto base nesta terça-feira (19) para ser votado nas duas primeiras semanas de junho e assim deliberar o projeto para ser sancionado pelo prefeito em meados do próximo mês.

"A câmara entende que saúde e economia não são antagonistas, são pararelas e podem caminhar conjuntamente", afirmou Tuma, que garantiu que os cuidados em relação ao distanciamento social controlado serão mantidos. 

Veja mais:
 
O Grande Debate: o que fazer para a saúde de São Paulo não colapsar?

Saúde em São Paulo deve entrar em colapso em 13 dias, prevê secretário

Covas se esquiva e diz que decisão de lockdown em São Paulo cabe a Doria

A votação acelerada do feriado antecipado já causa alguns questionamentos jurídicos e até mesmo reclamações de religiosos e movimento negro por conta da antecipação das duas datas. "Toda medida visa achatar a curva, ou seja, aumentar o achatamento. Os dados mostram que aos finais de semana as pessoas ficam mais em casa, assim visa a medida do feriado", explica Eduardo Tuma. 
 
Não haverá expediente nestas quarta (20) e quinta-feira (21), e sexta (22) será decretado ponto facultativo. A medida foi publicada no Diário Oficial do município nesta terça-feira (19). Sendo assim, serão antecipados na cidade os feriados de Corpus Christi (11 de junho) e Consciência Negra (20 de novembro). Serão antecipados, respectivamente, para esta quarta e quinta-feira. 

O presidente da Câmara conta também que os dias 11 de junho e 20 de novembro serão pontos facultativos, podendo ter ou não atividades de trabalho. 
 
A criação do "superferiado" foi uma alternativa pensada a fim de aumentar o isolamento social na cidade, que não atingiu os índices desejados mesmo com a ampliação do rodízio de veículos, na semana passada. 

Ainda há a possibilidade de antecipação do feriado estadual de 9 de Julho para a próxima segunda-feira (25), data que celebra a Revolução Constitucionalista de 1932 no Estado de São Paulo.