Ceará prorroga isolamento no estado e lockdown em Fortaleza até dia 31

Segundo o governador Camilo Santana, a depender da evolução do controle da pandemia de Covid-19, será possível planejar a retomada da economia já para junho

Da CNN, em São Paulo
20 de maio de 2020 às 22:46 | Atualizado 21 de maio de 2020 às 11:51

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), anunciaram nesta quarta-feira (20) a prorrogação da quarentena no estado e do lockdown (confinamento) na capital. As medidas valerão até o dia 31 de maio. Segundo Camilo, a depender da evolução do controle da pandemia de Covid-19, será possível planejar a retomada da economia já para junho.

"Analisamos o grau de isolamento social atingido, o avanço do número de novos leitos, os números de testes no Estado e as projeções de casos e óbitos. E como temos visto, o isolamento social é a principal dessas ações. E por isso, eu e o prefeito Roberto Cláudio decidimos prorrogar o decreto de isolamento social rígido até o dia 31 de maio", disse o governador.

Segundo Camilo, o Ceará aponta "para uma tendência de estabilização, tanto em casos quanto em óbitos", principalmente em Fortaleza. Ele atribuiu este resultado às medidas de isolamento social. 

"Como nossas decisões são sempre pautadas em estudos, na ciência e no que dizem os profissionais de saúde, vamos continuar a praticar o isolamento e o distanciamento social, tudo para minimizar os impactos da pandemia", afirmou.

Leia também:

Com quase 20 mil registros, Brasil tem novo recorde de casos diários de Covid-19

Senado aprova projeto de pagamento de seguro em caso de morte por Covid-19

Economia

No Twitter, o governador afirmou que, "havendo melhoria na evolução dos números", a retomada da economia pode ocorrer já em junho.

"É fundamental que haja maior adesão da população ao isolamento nos próximos dias, tanto na capital quando no interior. Havendo melhoria na evolução dos números, podemos planejar a retomada da economia para junho. Faremos isso com muita responsabilidade e sempre seguindo a ciência", postou no fim da tarde.

Roberto Cláudio disse que "a economia é importante, mas nenhum outro valor tem de estar à frente da proteção da vida e da valorização da saúde. Não podemos achar normal que 60 a 80 cearenses morram por dia de uma doença infecto contagiosa."

Apesar de ser o oitavo estado mais populoso do Brasil, o Ceará é o segundo com mais casos de Covid-19, atrás apenas de São Paulo. Até esta quarta, foram registrados no estado 30.560 casos e 1.900 mortes pela doença.

Segundo Camilo Santana, o Ceará já fez mais de 75 mil testes e seria, proporcionalmente, o estado que mais faz exames para o novo coronavírus no Brasil.

Ainda de acordo com o governador, o estado abriu durante a pandemia 2.139 novos leitos e enfermarias, todos exclusivos para pacientes da Covid-19, sendo que 627 são novas UTIs.