Governo envia tropas das Forças Armadas para combate ao desmatamento no Acre

O Planalto tenta, com isso, reverter a imagem negativa deixada pelo escândalo das queimadas ocorridas no ano passado

André Spigariol, da CNN, em Brasília
21 de maio de 2020 às 09:04
“As florestas da Amazônia absorvem 30% de todo gás carbônico que a gente joga na atmosfera. Se elas desaparecem, perdemos essa capacidade de tirar o CO2 do ar”, explica o climatologista Carlos Nobre, pesquisador do IEA (Instituto de Estudos Avançados) da USP (Universidade de São Paulo)
Foto: Ueslei Marcelino - 23.ago.2019/ Reuters

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) autorizou nesta quinta-feira (21) o emprego das Forças Armadas no estado do Acre para ações de combate ao desmatamento ilegal e incêndios na Amazônia Legal. A medida atende a pedido feito na semana passada pelo governador acreano, Gladson Camelli (PP).
 
Com a autorização dada pelo presidente, cabe agora ao Ministério da Defesa, comandado pelo general Fernando Azevedo e Silva, a definição sobre a quantidade de profissionais, equipamentos e comandos que serão alocados na operação.

Leia também:

Mesmo com pandemia, desmatamento da Amazônia em abril bate recorde

Quais os riscos do avanço do desmatamento na Amazônia?

Na semana passada, em conversa com embaixadores europeus, o vice-presidente, Hamilton Mourão, destacou a autorização para missões de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) com foco no combate à devastação da Amazônia.

O Planalto tenta, com isso, reverter a imagem negativa deixada pelo escândalo das queimadas ocorridas no ano passado.