Por Covid-19, comunidade judaica adapta shabat para versão online


Da CNN em São Paulo
22 de maio de 2020 às 13:41 | Atualizado 29 de maio de 2020 às 09:26

Uma tradição milenar na cultura judaica teve que ser adaptada por causa da pandemia: o shabat, nome dado ao dia do descanso no judaísmo e uma das mais importantes celebrações da religião. No terceiro episódio da série "A Fé em Tempos de Pandemia", a CNN mostra como a comunidade judaica se adaptou ao novo cenário de pandemia.

O que surpreendeu foi a aceitação do shabat online, cerca de 1.800 pessoas participaram. Em uma sexta-feira normal, a frequência na sinagoga era de aproximadamente 400 pessoas. A celebração é feita toda semana, do pôr do sol de sexta-feira até o pôr do sol de sábado.

Veja também:
Com igrejas fechadas, católicos encontram novas formas de união
Muçulmanos mostram rotina religiosa no Brasil em meio à pandemia

O rabino Michel Schlesinger disse à CNN que vê os encontros religiosos virtuais como positivos, embora ainda esteja se adaptando. "Eu me lembro da primeira vez, que tive que fazer diante de uma sinagoga totalmente vazia, um serviço religioso diante de uma câmera. Foi a sensação mais estranha do mundo. Mas a segunda e a terceira vez também foram estranhas e continua até hoje. Espero que a gente não se acostume com os nossos templos vazios", afirmou o rabino Michel Schlesinger.

A produção é de Juliana Faddul e a edição de Eduardo Palácio.