Assalto a bancos: PF cumpre mandados de prisão contra suspeitos no Tocantins


Da CNN
27 de maio de 2020 às 09:38 | Atualizado 27 de maio de 2020 às 13:59
Operação da PF contra tráfico de armas

Os investigados agiam sempre de forma coordenada, se aproveitando da distração de funcionários e falhas dos sistemas de segurança das agências bancárias e instituições financeiras.

Foto: Sergio Moraes/Reuters (28.07.2015)

A Polícia Federal iniciou, na manhã desta quarta-feira (27), a Operação “Cara Dura”, a fim de desarticular um grupo suspeito de uma série de assaltos a bancos em diversos estados da federação.

Aproximadamente 26 policiais federais cumprem 3 mandados de busca e apreensão nas cidades Palmas, Porto Nacional e Gurupi, além de 3 (três) mandados de prisão preventiva em Niterói (RJ) e Belém (PA), todos expedidos pelo Juízo Federal da Subseção Judiciária de Gurupi (TO).

A investigação teve início após um assalto a Agência da Caixa Econômica Federal em Gurupi, sul do Tocantins, em janeiro deste ano, quando quatro homens furtaram o valor de R$ 150 mil em espécie, que estava sob a responsabilidade de um funcionário da instituição e seria utilizado para o abastecimento dos caixas eletrônicos. 

Leia também:

Operação da PF investiga desvio de R$ 15 milhões na saúde do RS

PF faz buscas no Rio de Janeiro contra desvios no INSS

PF cumpre mandados em inquérito das fake news

As investigações apontaram o possível envolvimento de um empregado da Caixa Econômica Federal, além de um funcionário de empresa terceirizada que presta serviços à Agência da Caixa de Gurupi. 

Os investigados agiam sempre de forma coordenada, se aproveitando da distração de funcionários e de falhas nos sistemas de segurança das agências bancárias e instituições financeiras.

A Polícia Federal encontrou indícios de que alguns dos investigados são responsáveis por quase 40 furtos em diversos estados, com as mesmas ações.

Os investigados poderão responder pelos crimes de furto qualificado e associação criminosa, cujas penas somadas podem ultrapassar 10 (dez) anos de reclusão.