Parques e templos religiosos serão reabertos no Distrito Federal

Templos religiosos poderão ser reabertos desde que tenham capacidade para mais de 200 pessoas, forneçam produtos de higiene e mantenham distanciamento

Tainá Farfan, da CNN, em Brasília
30 de maio de 2020 às 15:12
O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB)
Foto: Renato Alves - 14.jan.2019/GDF

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), publicou neste sábado (30) um decreto liberando a abertura de parques e templos religiosos a partir de quarta-feira (3).

Templos religiosos poderão ser reabertos desde que tenham capacidade para mais de 200 pessoas, disponibilização de produtos de higiene na entrada e distanciamento mínimo de 1,5 metro. Idosos, crianças menores de 12 anos e pessoas do grupo de risco não poderão entrar no local.

Já os parques poderão ser reabertos entre 6h e 21h, com uso obrigatório de máscaras. Banheiros, bebedouros e equipamentos de musculação não poderão funcionar. Também não será permitido nenhum tipo de comércio dentro dos parques, inclusive de ambulantes.

Ibaneis comentou sobre o decreto neste sábado após deixar o Hospital DF Star, onde estava internado depois de passar por uma cirurgia de emergência na madrugada de terça-feira (26) para corrigir uma perfuração por fragmento de osso no intestino.

“A grande maioria dos parques são públicos em Brasília. Nós, o governo, vamos ter que fazer um trabalho de fechamento de algumas áreas de fiscalização nas entradas, fechamento de áreas de estacionamento e tudo vai ficar por conta do governo, que tem que se organizar de forma muito rápida. No que diz respeito às igrejas, temos que dar tempo também para esses líderes religiosos comprarem os equipamentos, fazerem a retirada de alguns bancos ou cadeiras nas igrejas”, comentou o governador.

Sobre a flexibilização das medidas de combate ao novo coronavírus e possível aumento do número de casos da doença, Ibaneis disse não que está preocupado com a capacidade de atendimento nos hospitais do DF.

“Temos uma capacidade hospitalar muito acima do que seria necessário para fazer a reabertura. O Distrito Federal tem leitos para atender a todos. Ninguém ficará sem atendimento”, afirmou.

O governador ainda destacou que, por enquanto, não considera flexibilizar a abertura de academias, restaurantes e bares.