Justiça manda soltar homem que jogou tinta na rampa do Planalto

Suspeito foi indiciado e deverá se apresentar à Justiça a cada três meses e justificar suas atividades

João Vianey Da CNN, em Brasília
09 de junho de 2020 às 20:00
Rampa do Palácio do Planalto foi alvo de protesto com tinta vermelha
Foto: CNN (08.jun.2020)


O homem preso sob suspeita de jogar tinta vermelha na rampa do Palácio do Planalto na manhã de ontem foi solto pela Justiça nesta terça-feira (9).

Embora identificado, o homem não teve o nome divulgado pelas autoridades. Natural de Xinguara (PA), ele tem 29 anos e mora em Goiás. Estava na casa de uma prima em Taguatinga, a 23 km de Brasília quando resolveu protestar contra o governo.

Ele estava preso na superintendência da Polícia Federal, de Brasília. Após prestar depoimento na tarde de ontem, foi estipulada uma fiança de aproximadamente três salários mínimos. Mas como não tinha condições de pagar, o suspeito acabou preso.

Leia e assista também

Manifestantes jogam tinta vermelha na rampa do Palácio do Planalto

Bolsonaro diz que governo agirá se protestos passarem 'limite da racionalidade'

A decisão de colocá-lo em liberdade foi do juiz o juiz Rodrigo Parente Paiva Bentemuller, da 15ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, que atendeu ao pedido da Defensoria Pública. 

O suspeito foi indiciado por dano ao patrimônio público federal e dano ao patrimônio tombado. 
Em sua decisão, o juiz determinou que ele deverá se apresentar à Justiça a cada três meses, justificar suas atividades, comunicar qualquer mudança de endereço e comparecer a todos os atos do processo e do inquérito policial, sob pena de perder o benefício.