Governo tenta se reinventar após vídeo da reunião, diz Murillo de Aragão

Cientista político diz também que é muito provável a prorrogação do auxílio emergencial, a única dúvida é o valor do repasse

Da CNN, em São Paulo
09 de junho de 2020 às 23:28

A terça-feira (9) foi marcada pela reunião ministerial transmitida ao vivo, onde se discutiu estratégias sobre a pandemia e em nada lembrou o vídeo da polêmica reunião ministerial de 22 de abril, tornada pública pelo Supremo Tribunal Federal. A mudança de atitude, segundo o cientista político Murillo de Aragão, da Arko Advice, parte de uma tentativa do governo de “se reinventar”.

“O governo está tentando se reinventar tendo em vista a repercussão negativa da reunião de abril. Vimos hoje ministros apresentando dados de maneira organizada e uma maior integração dentro do governo. A tentativa de melhorar a comunicação e baixar o tom partiu do Palácio do Planalto, que buscou fazer algo mais institucional após reações negativas do vídeo.”

Leia também

Redução do auxílio-emergencial precisa passar pelo Congresso, diz Rodrigo Maia

Renda Brasil precisa caber no orçamento e convencer o Congresso

Outro tema do dia foi a prorrogação do auxílio emergencial, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), condicionou a medida à diminuição de salários de servidores públicos, desafiando publicamente o Congresso a aprovar medida neste sentido.

“É quase certa a prorrogação do auxílio emergencial, o que se discute é o valor. A Câmara quer manter os R$ 600 enquanto o governo quer dar R$ 200. Existem fontes para buscar dinheiro até a economia dar sinais que está ressuscitando.”

(Edição: André Rigue)