MP e Defensoria pedem 100% da frota e distanciamento no transporte público em SP

Ações levam em conta aumento da demanda por conta da reabertura do comércio de rua

Felipe Boldrini, da CNN, em São Paulo
10 de junho de 2020 às 08:30 | Atualizado 10 de junho de 2020 às 08:32

 

A retomada das atividades, gradualmente, na região metropolitana de São Paulo fez com que o Ministério Público e a Defensoria Pública do estado recomendassem algumas medidas para evitar aglomerações nos transportes públicos da capital e região metropolitana. 

As recomendações contemplam a adoção da frota integral, de protocolos de distanciamento entre passageiros, ampla comunicação com usuários de transporte sobre os perigos de contágio da doença, comportamentos e hábitos preventivos, como uso de máscaras e higienização. 

Desde o começo da semana, a prefeitura determinou que os ônibus da capital paulista funcionem apenas com a capacidade máxima de passageiros sentados.

Hoje cedo, a movimentação era tranquila no Terminal das Bandeiras, no bairro Boa Vista. Os ônibus saíram do terminal, sem a capacidade máxima. 

Nesta quarta-feira (10) a frota foi reforçada com mais 1.705. Os usuários contam então hoje com 11.828 veículos, que representa 92, 31% da frota operacional nos dias úteis pré-quarentena.

Segunda-feira (8) a SPTrans registrou que 1,3 milhão de pessoas foram transportadas nos ônibus.

Antes da quarentena circulavam nos dias úteis, 3,3 milhões de pessoas.