Governo e prefeitura de SP divergem sobre ocupação de leitos de UTI por Covid-19

Enquanto a prefeitura sustenta que teve redução expressiva na ocupação de leitos de UTI na cidade, dados apresentados pelo governo do Estado indicam que não

Raquel Landim
Por Raquel Landim, CNN  
11 de junho de 2020 às 13:11 | Atualizado 11 de junho de 2020 às 13:12
Covas de entrega de leitos de UTI no Hospital Municipal Guarapiranga
Foto: Divulgação/Prefeitura de São Paulo


As equipes do governo do Estado e da Prefeitura de São Paulo estão divergindo sobre os dados de ocupação de leitos de UTI por coronavírus na capital paulista, um indicador muito importante para definir o ritmo da abertura da economia.

Enquanto a prefeitura sustenta que teve uma redução expressiva na ocupação de leitos de UTI na cidade, os dados apresentados pelo governo do Estado na coletiva de quarta-feira (10) apontam que não. O indicador teria passado as últimas duas semanas estável em torno de 80%.

Leia também:

Vacina vai estar disponível até junho de 2021, diz Doria

Doria: 'Em três semanas, 9 mil voluntários para vacina estarão sendo testados no Brasil'

Duas semanas atrás, quando o governador João Doria autorizou a entrada da capital paulista na fase laranja, não foi divulgada a taxa de ocupação de UTIs da cidade. Mas, pelas regras do plano São Paulo, o indicador teria que estar abaixo de 80%. Acima desse patamar é fase vermelha.

Desde então, a prefeitura de São Paulo diz que recebeu 380 respiradores do governo estadual, ampliando sua capacidade de atendimento, e que a quantidade de internações por covid está estável. O indicador divulgado pelo governo estadual, que relaciona as internações da última semana com a semana anterior, está em torno de 1, o que indica estabilidade.

Por esses dados, a taxa de ocupação de UTI da capital deveria ter caído, mas não foi o que ocorreu. O indicador, divulgado na coletiva de imprensa nesta quarta-feira, apresenta 78% de ocupação. Foi esse indicador que manteve a capital paulista na faixa laranja. Os outros quatro índices já estão verdes ou amarelos.

Segundo apurou a reportagem, a equipe do prefeito Bruno Covas chegou à reunião realizada na terça-feira à noite, para decidir a nova fase de quarentena, convencida de que conseguiria avançar para a fase amarela. E foi surpreendida pelo indicador do governo estadual.

Os dados da prefeitura, que eram os mais divulgados até agora, não batem com os do governo estadual. O indicador apontam que a taxa de ocupação de UTI estaria hoje em 67%, mas só inclui hospitais administrados e contratados pela prefeitura. O índice do governo estadual engloba também hospitais estaduais e privados.

Procurado pela CNN, o governo estadual não informou até o fechamento deste texto a taxa de ocupação de leitos UTI Covid em São Paulo duas semanas atrás, quando a capital foi autorizada a entrar na fase laranja. A reportagem continua aguardando o número.