Sem publicar edital, MEC adia início das inscrições para o Sisu

Inscrições no programa, que seleciona estudantes para universidades federais, estavam previstas para começar nesta terça-feira

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
16 de junho de 2020 às 11:47 | Atualizado 16 de junho de 2020 às 15:25
Site do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), na manhã desta terça-feira (16), ainda refletia o processo seletivo do primeiro semestre
Foto: Reprodução/ sisu.mec.gov.br

Apesar de o Ministério da Educação ter anunciado em maio que as inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) no segundo semestre começariam nesta terça-feira (16), a pasta informou um novo prazo: entre 7 e 10 de julho, após a publicação de um edital destinado às instituições de ensino — o que, segundo a pasta, deve acontecer nos "próximos dias".

O edital do programa é necessário para que as instituições manifestem interessem em aderir ao Sisu, por isso é considerado o primeiro passo do processo seletivo. “Com isso, será possível conhecer o número de bolsas ofertado e quais cursos, por exemplo, estarão disponíveis para os estudantes”, explicou o próprio Ministério da Educação (MEC), no anúncio das datas de inscrição.

O cronograma original previa que as inscrições no programa começariam nesta terça e iriam até 19 de junho.

O Sisu é utilizado para selecionar estudantes para as universidades federais. Podem concorrer a uma vaga pelo programa os estudantes que participaram do Enem de 2019 e que tiveram nota acima de zero na redação.

Assista e leia também:

Alunos de 20 escolas privadas de SP pedem adiamento do Enem

Pesquisa revela que 42% dos alunos podem abandonar faculdades privadas

Neste segundo semestre, o programa deveria selecionar pela primeira vez estudantes para os cursos de ensino a distância (EAD) oferecidos por universidades públicas. A novidade foi publicada em uma portaria pelo MEC no fim de maio.

Também em maio, o MEC informou as datas para inscrição em outros dois programas federais voltado ao ensino superior: o Programa Universidade para Todos (ProUni), de 23 a 26 de junho, e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), entre 30 de junho e 3 de julho.

O ProUni oferece bolsas integrais (100%) e parciais (50%) em instituições privadas de ensino superior. Já o Fies é o programa de financiamento para estudantes utilizarem em cursos superiores.

A CNN entrou em contato com o MEC para entender o motivo para o edital ainda não ter sido publicado, quando deve acontecer as inscrições pelo Sisu e também de as datas do ProUni e do Fies estão mantidas.

O ministério informou que as inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foram remarcadas remarcado para o período entre 7 e 10 de julho. A pasta não respondeu, no entanto, os questionamentos sobre as datas para outros programas do governo federal

Situação delicada

A indefinição em relação aos prazos do Sisu parece refletir o momento delicado vivido por Weintraub à frente do MEC. Nesta terça-feira (16), o ministro afirmou ao colunista Igor Gadelha que sua situação no governo é incerta. “Estou no cargo. Não sei meu futuro. Está difícil prever”, afirmou.

Em entrevista à rádio Bandeirantes na segunda-feira (15), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse publicamente que o ministro “não foi muito prudente” ao participar de uma manifestação pró-governo na manhã de domingo, em Brasília. “[Esse é um] problema que estamos tentando solucionar”, disse Bolsonaro.

Ainda de acordo com informações do colunista, Bolsonaro já pediu a ministros e assessores sugestões de substitutos para Weintraub. O presidente quer nomes que agradem tanto à militância como o do atual titular do MEC.