PE, AC e AM estão há mais dias com menores taxas de contágio do país, diz estudo


Jéssica Otoboni, da CNN, em São Paulo
18 de junho de 2020 às 11:46
Mapa de taxas de reprodução da Covid-19 no Brasil feito pelo Covid-19 Analytics

Mapa de taxas de reprodução da Covid-19 no Brasil feito pelo grupo Covid-19 Analytics

Foto: Reprodução - 18.jun.2020 / Covid-19 Analytics

Os estados de Pernambuco, Acre e Amazonas têm registrado as menores taxas de contágio do novo coronavírus na país há mais dias, em comparação com a situação dos demais estados, de acordo com o estudo do Covid-19 Analytics

O grupo foi criado por professores de engenharia elétrica, engenharia industrial e economia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e conta com a participação de especialistas e professores de outras instituições, como Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e até de algumas instituições internacionais.

Segundo a pesquisa do Covid-19 Analytics, o estado de Pernambuco está há mais dias com a menor taxa de contágio do Brasil. Até terça-feira (16), a plataforma mostra que a região estava há 19 dias abaixo de 1, o que aponta para uma certa estabilização dos casos na região. 

Assista e leia também:

A parceria com a China e os próximos passos para a vacina no Brasil

É possível reabrir a economia sem acelerar o contágio? Especialistas opinam

Esse número indica para quantas pessoas um paciente infectado transmite o vírus. Ou seja, quando a taxa está em 2, por exemplo, significa que cada infectado transmite o vírus para, em média, duas pessoas. Para especialistas em epidemiologia, quando a taxa se estabiliza abaixo de 1 durante algumas semanas, o aumento na quantidade de casos e mortes pela Covid-19 desacelera.

Segundo o Ministério da Saúde, o estado de Pernambuco registra 47,4 mil casos confirmados do novo coronavírus e cerca de 4 mil mortes.

O Amazonas está há 15 dias com 0,9 de taxa, enquanto o Acre registra 0,91 há 12 dias. Na contramão, Goiás apresenta a taxa mais alta por mais dias: 1,86 há 38 dias. São Paulo, que iniciou recentemente o processo de reabertura econômica, está em situação considerada intermediária pela plataforma. Contudo, é o estado que mantém a mesma média há mais tempo: 44 dias com 1,23.

Outros três estados do Norte e um do Nordeste registram taxas abaixo de 1: Tocantins (0,88 há 8 dias), Pará (0,9 há 5 dias), Roraima (0,92 há 3 dias) e Maranhão (0,91 há 5 dias).

Obtenção e análise dos dados

O pesquisador integrante do Covid-19 Analytics e professor da FGV-RJ Marcelo Fernandes explicou à CNN que essa taxa de contágio, identificada na pesquisa como taxa de reprodução, leva em conta taxas de transmissão, recuperação e letalidade da doença. 

De forma resumida, o cálculo é feito a partir da soma das taxas de recuperação e morte. Depois, a taxa de transmissão é dividida por essa soma.

“Quando o número de reprodução é menor que 1 sabemos que a epidemia vai eventualmente desaparecer, portanto, dizemos que está controlada”, disse Fernandes. “Quando é maior que 1, o crescimento do número de infectados é exponencial, então, [a pandemia] não está controlada.”

Ele ressaltou que a estimativa do Covid-19 Analytics faz esse cálculo “suavizando” as taxas diárias dos dados ao longo do tempo, ou seja, restringindo o quanto elas podem oscilar. “Como os dados têm ruído e sazonalidade, fazemos essa suavização para captar apenas a tendência”, afirmou.

No caso de Pernambuco, o processo de retomada das atividades já está em andamento. Inclusive, a partir de segunda-feira (22), os shoppings poderão reabrir de forma controlada ao público e em horário reduzido, conforme as determinações e protocolos do governo.

Assista e leia também:

Taxa de ocupação de leitos de UTI cai para 87% em Pernambuco

OMS volta a suspender testes com hidroxicloroquina em pacientes com Covid-19

Quanto a isso, Fernandes alerta que o início da flexibilização leva mais pessoas às ruas e, apesar de manterem o distanciamento social, um aumento nas taxas de transmissão se torna “inevitável”. “Quanto maior o distanciamento social, menor a taxa de transmissão e, portanto, menor a taxa de reprodução.”

Cautela

As métricas divulgadas pelo Covid-19 Analytics são obtidas, segundo a plataforma, com base nos dados referentes ao número de pessoas infectadas e mortas pela doença, divulgados pelo Ministério da Saúde. O grupo alerta que os números, apesar de embasados em dados oficiais, precisam ser analisados com cautela, pois podem ser impactados por mudanças no padrão da divulgação dessas informações pelos órgãos oficiais ou de testagens. 

“Os resultados devem ser interpretados com cautela, e se tornam mais confiáveis conforme a região se estabiliza em uma determinada faixa de número de reprodução por muitos dias”, indica o grupo em seu site.

De acordo com os criadores da plataforma, o Covid-19 Analytics foi criado com o objetivo de fornecer uma ferramenta que auxiliasse no gerenciamento da crise pelas autoridades responsáveis, além de informar a população. Para isso, o grupo também construiu um modelo de previsão de casos e mortes por Covid-19 no Brasil que projeta a situação até duas semanas a frente do momento atual.

A plataforma é atualizada diariamente conforme a divulgação de dados oficiais da saúde. Até o momento, ela não leva em consideração indicadores de testagens e taxa de distanciamento social.