Zema cita 'estrangulamento total do sistema de saúde' caso Covid-19 avance em MG

Estado contabiliza 24.906 casos e 570 mortes confirmadas, segundo Ministério da Saúde

Da CNN
19 de junho de 2020 às 12:59

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (19), o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo),  pediu que a população redobre os cuidados na prevenção ao novo coronavírus para evitar o que ele classificou como o "estrangulamento total do sistema de saúde".

"Essa trajetória ascendente [da curva de contaminação] não pode continuar como está sob pena de que, dentro de um mês, tenhamos um estrangulamento total do sistema de saúde, apesar de todos os esforços que fizemos", declarou. 

Zema ainda acrescentou que "90 dias, tomamos as primeiras medidas e, desde então, estamos estruturando e robustecendo o nosso sistema de saúde".

Leia também:

MG pode recuar e autorizar apenas atividades essenciais na grande BH
Zema: situação financeira em Minas Gerais não permite testagem em massa

Em Minas Gerais, cada município segue um protocolo diferente, já que a adesão às orientações do programa Minas Consciente, do governo estadual, é totalmente voluntária. Por causa disso, muitas não aderiram ao plano.

À CNN, o secretário-geral do governo de Minas Gerais, Mateus Simões, afirmou que a gestão não exclui retomar o funcionamento do comércio a apenas uma lista de atividades essenciais, para tentar frear casos na região metropolitana de Belo Horizonte.

"Nós temos que comemorar que Minas Gerais tem o menor número de pessoas que vieram a óbito. Esse bom desempenho representa que sempre agimos com antecedência", disse. "O governador está preocupado, especialmente, com cidades da região metropolitana que apresentaram aumento de número de casos. Elas serão reavaliadas nos próximos dias. Indicamos, na última quarta-feira, que deveria voltar a funcionar apenas o comércio essencial, para que as pessoas não corram riscos nesta região", acrescentou.

Até quinta-feira (18), o estado tinha 24.906 casos e 570 mortes confirmadas, segundo o Ministério da Saúde.

(Edição: Leonardo Lellis)