Casa geriátrica do RS cria 'túnel do abraço' para aproximar familiares e idosos

Residencial Três Figueiras em Gravataí implementou solução criativa para levar amor a seus residentes

Flora Charner, Rodrigo Pedroso e Sara Spary, da CNN
20 de junho de 2020 às 20:52
Túnel do abraço
Familiar e moradora do Residencial Três Figueiras se encontram em "túnel do abraço"
Foto: Reprodução/Facebook (21.mai.2020)

Uma casa para cuidado de idosos no Rio Grande do Sul inventou uma maneira criativa de levar amor a seus residentes em meio à pandemia do novo coronavírus, criando um "túnel do abraço" que permite aos familiares um contato seguro. 

A ideia surgiu no mês passado, pouco depois do Dia das Mães, quando os funcionários do residencial Três Figueiras, em Gravataí (RS), perceberam que alguns de seus moradores estavam se sentindo solitários. 

"Percebemos que nossos residentes estavam se sentindo tristes", disse Luciana Brito, uma das donas do estabelecimento, à CNN. "Pensamos que ficariam muito mais felizes se encontrássemos uma maneira para que abraçassem seus parentes".

O Residencial Geriátrico Três Figueiras é a casa de 28 idosos que estão em isolamento desde 17 de março, com contato externo limitado a chamadas de vídeo.

Luciana disse à CNN que a ideia para um "túnel do abraço" veio de um vídeo viral, em que uma mulher, nos Estados Unidos cria uma cortina de plástico para abraçar sua mãe. 

O túnel consiste em uma grande folha de plástico com quatro entradas para braços, montada em uma das entradas do local. Os buracos também estão cobertos em plástico e permitem que os visitantes abracem seus entes queridos sem entrar em contato direto com eles. 

Leia também:

Idosos solitários durante quarentena podem ligar para Disque 100 para conversar

SP realiza campanha de envio de cartas a idosos durante quarentena

Eraldo Quintana, um aposentado de 81 anos que vive no local, disse à CNN que achava essa uma grande invenção. 

"Minhas duas filhas vieram e fiquei muito feliz em vê-las", disse.

Quintana disse que é "diferente" abraçar alguém quando há plástico entre os dois, mas se contenta: "Se não tivéssemos isso, ficaríamos com medo de abraçar por causa do coronavírus".

No Residencial Três Figueiras, Rubia Santos mostra o túnel do abraço
A administradora do Residencial Três Figueiras, Rubia Santos, mostra o túnel do abraço
Foto: Reprodução/Facebook (1º.jun.2020)

Para manter o "túnel do abraço" seguro, as visitas são agendadas com antecedência e a área é desinfetada a cada meia hora, disse a administradora Rubia Santos em um vídeo publicado na página oficial da casa de repouso no Facebook. 

Ela contou também que medem a temperatura e aplicam álcool em gel nas mãos de todos os visitantes antes de acessarem o túnel. 

"Se alguém por aí gerencia uma casa geriátrica, eu recomendo que façam isso", disse Santos. "É tão gratificante vê-los se abraçando e tão importante". 

O novo coronavírus tirou as vidas de mais de 49 mil brasileiros até o momento, e o país tem o segundo maior número de mortes e casos de Covid-19, atrás somente dos Estados Unidos, dizem dados da universidade Johns Hopkins. 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), no entanto, classificou a doença como uma "gripezinha" e partes do país começaram a relaxar as medidas de quarentena no começo de junho, apesar das preocupações dos especialistas que uma reabertura precoce poderia causar mais infecções. 

(Texto traduzido, veja o original em inglês)