Elisabete França é nomeada secretária municipal de Transportes de São Paulo

Arquiteta assume a pasta neste sábado (20) depois do pedido de demissão do ex-secretário Edson Caram, em 12 de junho

Stephanie Bevilaqua, da CNN
20 de junho de 2020 às 08:22 | Atualizado 20 de junho de 2020 às 09:09

Na manhã deste sábado (20), o Diário Oficial do estado de São Paulo publicou mais uma troca de chefia na secretaria dos transportes da capital. Elisabete França foi nomeada como a nova secretária municipal de Mobilidade e Transportes da cidade de São Paulo.
 
Edson Caram, que estava à frente da pasta desde dezembro de 2018, pediu demissão no dia 12 de junho de 2020, mesma semana em que o prefeito Bruno Covas (PSDB) ameaçou dispensá-lo caso os ônibus na cidade ainda trafegassem com pessoas em pé.
 
"Secretário [Edson Caram] me garantia que nessa semana não haveria passageiros em pé. Hoje de manhã em 5% das linhas tivemos passageiros em pé. O secretário tem até sexta-feira para conseguir fazer isso. Se até sexta-feira ele não conseguir fazer isso, a partir de segunda-feira é outro secretário que vai tentar fazer isso", afirmou o prefeito em entrevista coletiva no dia 8 de junho. 

Leia também:

MP e Defensoria pedem 100% da frota e distanciamento no transporte público em SP

Brasil registra deflação em maio puxada pelos setores de transportes e habitação

Quem é Elisabete França



 
Elisabete França exercia o cargo de Diretora de Planejamento e Projetos da CET (Companha de Tráfego de São Paulo). É arquiteta urbanista, com experiência em projetos urbanos, ambientais, habitacionais e de mobilidade urbana.
 
Entre 2015 e julho de 2018 foi Diretora de Planejamento e Projetos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo.
 
Já entre 2010 e 2012, foi Secretaria de Habitação e entre 2005 e 2012 foi Superintendente de Habitação da Secretaria de Habitação da Cidade de São Paulo, onde coordenou a elaboração do Plano Municipal de Habitação e vários programas habitacionais, com destaque para Urbanização de Favelas, Recuperação Urbana e Ambiental nos Mananciais e Recuperação de Cortiços na região central da cidade.

Seu principal desafio como gestora será fazer com que o transporte público ofereça segurança sanitária em meio à retomada de atividades na cidade, mesmo com a pandemia da Covid-19 avançando na capital paulista.