Suspensão de salário de Moro, futuro do MEC e mais da noite de 22 de junho

Assista ao 5 Fatos Noite apresentado pela âncora da CNN Daniela Lima

Da CNN, em São Paulo
22 de junho de 2020 às 19:58 | Atualizado 22 de junho de 2020 às 20:04

A Procuradoria-Geral da República (PGR) diz que sites pró-governo transformaram atos antidemocráticos em negócio lucrativo e o pedido de Lucas Rocha Furtado, subprocurador-geral do Ministério Público de Contas, para que os salários do ex-ministro Sergio Moro sejam suspensos estão entre os destaques do 5 Fatos Noite desta segunda-feira, 22 de junho de 2020.

Atos antidemocráticos

A Procuradoria-Geral da República diz que sites pró-governo transformaram atos antidemocráticos em negócio lucrativo que pode ter rendido mais de R$ 100 mil. A informação é da analista de política Thais Arbex e da jornalista Gabriela Coelho, ambas da CNN, em Brasília.

Sergio Moro

O subprocurador-geral do Ministério Público de Contas, Lucas Rocha Furtado, quer que o Tribunal de Contas da União suspenda os salários do ex-ministro da Justiça Sergio Moro, que está recebendo enquanto cumpre quarentena. Para Furtado, ao ter aceitado trabalhar como colunista de alguns veículos, Moro estaria acumulando funções irregularmente. Em nota, Moro disse que a Comissão de Ética Pública da presidência o autorizou a trabalhar como colunista.

Abraham Weintraub

O ex-ministro da Educação Abraham Weintraub afirmou à analista de política da CNN Renata Agostini que está enfrentando uma “confusão danada” e, neste momento, dedica-se nos Estados Unidos a resolver uma série de questões práticas. Ele disse que ainda não pode revelar onde está exatamente por “questões de segurança”.

Ministério da Educação

Com a saída de Weintraub abriu-se uma corrida pelo comando do Ministério da Educação (MEC), além do interino Antonio Paulo Vogel, são cotados o educador Antônio Freitas; o atual secretário de Educação do Paraná, Renato Feder; a diretora de políticas educacionais da Fundação Getúlio Vargas, Cláudia Costin; e o secretário de alfabetização do MEC, Carlos Nadalim.

Gabriel

Personagem de uma imagem que chocou o país, Gabriel, de 19 anos, agredido por policiais militares durante uma abordagem em Carapicuíba, na Grande São Paulo, relatou à CNN que começou a se debater porque eu não conseguia respirar. “Eu estava pedindo socorro, para ele me soltar, e, quando minha voz não saía mais, eu desmaiei", disse.

Newsletter

Para receber as principais notícias todos os dias no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br.