São Paulo registra 140 mortes por Covid-19 no fim de semana

Número representa queda de 24,7% em comparação com as 186 vítimas de uma semana antes; governo fala em diminuição da curva de mortes

Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
22 de junho de 2020 às 13:34 | Atualizado 22 de junho de 2020 às 13:53
Carlos Carvalho, coordenador do Centro Contingência da Covid-19 em SP, anunciou redução das mortes no fim de semana
Foto: Reprodução/ Governosp/ YouTube

O governo de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (22) que o estado registrou 140 mortes causadas pelo novo coronavírus neste fim de semana, uma diminuição de 24,7% em comparação com o sábado e domingo anteriores.

“Esses números oscilam, mas na média, tivemos perto de 270 óbitos por dia na semana passada”, disse Carlos Carvalho, coordenador do Centro Contingência da Covid-19, comparando a média diária de mortes por dia de uma semana para a outra.

Ele afirmou ainda que com esses números o estado não deve chegar à previsão de 16 mil mortes pelo novo coronavírus até o fim de junho, como anunciado anteriormente pelo próprio governo de João Doria (PSDB). “Para isso, teríamos que ter mais de 400 óbitos por dia até o fim do mês, o que não tem ocorrido.”

“Como esses números que definem o modelo que vão descrever a curva daqui pra frente, o que vamos imaginar é que a curva vai achatar mais ainda”, completou.

Assista e leia também:

São Paulo bate novo recorde de mortes por Covid-19 pelo segundo dia consecutivo

Brasil registra 50 mil mortos por coronavírus, mostra levantamento da CNN

Carvalho destacou ainda a importância do uso de máscara de proteção para ajudar a diminuir os números de mortes no estado.

“Infelizmente, continua ocorrendo óbito, mas temos conseguido controlar melhor esses casos de maior gravidade. Estamos aprendendo um pouco mais como controlar essa doença nova e, principalmente, o uso da máscara é o grande fator que está ajudando.”

Testagem para empresas privadas

Doria e a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patricia Ellen, anunciaram a emissão de um certificado para empresas privadas que realizarem testagem em massa em seus funcionários, clientes e fornecedores.

O governador afirmou que a iniciativa tem por objetivo incentivar a adesão de empresas e organizações privadas para a estratégia de ampliar a testagem em todo o estado.

Ellen disse que o certificado será emitido em parceria com o instituto Coalizão Saúde. Ela afirmou que não há nenhum tipo de incentivo para esse modelo já que o objetivo do programa é regular e dar mais transparência aos protocolos de testagem.

"Esse trabalho do selo reconhece planos de testagem feitos através do método RT-PCR, com inclusão ou não de teste sorológico, pois principal objetivo é identificar casos ativos", afirmou.