'Mais três meses nessa situação', diz secretário sobre queimadas no MS

Jaime Verruck fala dos focos de incêndio na região do Pantanal após ser decretado estado de emergência

Da CNN, em São Paulo
25 de julho de 2020 às 16:32

O secretário de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck, falou à CNN na tarde deste sábado (25) sobre a situação da região do Pantanal, que somente este ano registrou mais de 3.800 focos de incêndio.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), que monitora esse tipo de atividade, o município de Corumbá lidera neste ano a quantidade de focos de incêndio no país, com mais de 800 registrados só neste mês.

"Estamos na situação mais grave que já tivemos em termos de incêndios florestais no Pantanal. Decretamos estado de emergência e só de ontem para hoje tivemos mais de 119 focos de incêndio no Estado", explica. 

"Esse combate no Pantanal é muito difícil por conta do acesso, mas desde ontem estamos conversando com o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério da Defesa e conseguimos a partir de hoje apoio do Governo Federal para utilização de aeronaves, da Força Aérea, da Marinha e da estrutura do Meio Ambiente e dos Bombeiros", afirma.

"Vamos passar os próximos três meses com essa situação. Estamos na pior situação em termos de seca, então os focos devem continuar e o grande problema que temos é que a maioria dos focos é de ação humana. Todas as autorizações de queimada controlada estão suspensas e a seca e os ventos levam esses focos para outras propriedades" conta o secretário.

"Estamos com o Ibama, um conjunto de aproximadamente 35 brigadistas, o Corpo dos Bombeiros do Estado com dois helicópteros com água e levando as tropas também para combater. A partir de segunda-feira (27), vamos receber o apoio dos aviões C-130, da Força Aérea, que tem capacidade de 2 mil litros de água", prevê Verruck.