PF faz operação em 8 estados contra tráfico internacional de armas

Armas foram encontradas dentro de equipamentos, como rádios, climatizadores e panelas elétricas

Jéssica Otoboni, da CNN, em São Paulo
29 de julho de 2020 às 08:53 | Atualizado 29 de julho de 2020 às 09:11

A Polícia Federal cumpre nesta quarta-feira (29) 25 mandados de busca e apreensão e 1 de prisão preventiva em 8 estados em uma operação contra o tráfico internacional de fogo e acessórios.

A Operação Mercado de Armas está sendo deflagrada no Paraná, Ceará, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe. O mandado de prisão é cumprido na cidade mineira de Brumadinho.

Segundo a PF em Curitiba, as investigações apontaram que suspeitos no Paraná, em Minas Gerais e em São Paulo "atuavam em associação na importação, transporte e remessa de armas de fogo e acessórios, que teriam como destino estados brasileiros".

Assista e leia também:
Kim diz que ‘não haverá mais guerra na Terra’ graças às armas nucleares dele
'Rambo da Floresta', que rendeu policiais e fugiu com armas, é preso na Alemanha
O Grande Debate: Bolsonaro deve isentar impostos para armas de fogo?

Foram encontradas armas dentro de equipamentos, como rádios, climatizadores e panelas elétricas, que seriam remetidos e transportados pelos Correios e transportadoras privadas. 

Armas foram encontradas dentro de equipamentos, como rádios, climatizadores e panelas elétricas
Foto: Divulgação - 29.jul.2020 / Polícia Federal

De acordo com as investigações, os armamentos eram importados ilegalmente do Paraguai e contavam com a participação de atravessadores para trazê-los ao Brasil. Os objetos, sem certificados necessários e notas fiscais, eram vendidos através de plataformas virtuais.

Os armamentos eram importados ilegalmente do Paraguai e contavam com a participação de atravessadores para trazê-los ao Brasil
Foto: Divulgação - 29.jul.2020 / Polícia Federal

Um desses acessórios é chamado Kit Roni, que, em um de seus modelos para uso exclusivo com pistolas de airsoft, era transformado para uso com armas de fogo e munições reais, tornando-o uma espécie de submetralhadora.

Os suspeitos podem responder pelos crimes de tráfico internacional de armas de fogo e acessórios, associação criminosa, falsidade ideológica, uso de documento falso e lavagem de dinheiro. Se condenados, as penas podem chegar a até 12 anos de prisão.

Um dos objetos apreendidos é o chamado Kit Roni, que era transformado para uso com armas de fogo e munições reais
Foto: Divulgação - 29.jul.2020 / Polícia Federal