'A literatura é uma vacina contra o medo', diz Fabrício Carpinejar


Da CNN, em São Paulo
28 de agosto de 2020 às 23:33

O Mundo Pós-Pandemia desta sexta-feira (28) entrevistou o poeta Fabrício Carpinejar. Ele falou sobre como lidou com a solidão no isolamento social e também sobre o livro que escreveu nesse período, "Colo, por favor!"

Carpinejar afirma que esse é seu livro mais "selvagem", por ter sido escrito e publicado em um período curto, sem "tempo de gaveta".

"A literatura é uma vacina contra o medo. Quando organizamos a dor, ela diminui. É preciso encontrar um ponto de apoio no sofrimento dos outros, e o desafio agora é ser otimista”, explica, lembrando o processo criativo durante a quarentena.

O poeta também comentou a mudança do sentimento das pessoas em relação às suas próprias casas, relações amorosas e familiares: "Toda nossa alegria era funcional e externa, precisávamos sair para sermos felizes. Nós não sabíamos mais fabricar a alegria caseira".

Muito presente nas redes sociais, Carpinejar falou sobre como lidar com as críticas e sobre a defesa de causas como a luta contra o machismo e a xenofobia online. "Eu não vou recuar. Não suporto injustiça", afirmou sobre as denúncias de problemas sociais que faz em seus perfis.

Leia também:
'Gosto de escrever a comédia da tolerância', afirma Miguel Falabella
'O futebol não se esgota nas quatro linhas', diz o jornalista Juca Kfouri
'A arte é uma atividade essencial', afirma a atriz Denise Fraga

Ele declarou que espera dias melhores depois da pandemia: "Escrever me dá esperança. Eu sempre penso que posso fazer meu melhor texto na manhã seguinte".

Fabrício Carpinejar foi entrevistado pelas jornalistas da CNN Luciana Barreto e Thaís Herédia e a comentarista Lia Bock. O comando da atração é da âncora Daniela Lima.

A CNN está no canal 577 nas operadoras Claro/Net, Sky e Vivo. Para outras operadoras, veja aqui como assistir à CNN.

(Edição: Sinara Peixoto).