TCU vê indício de fraude em licitação de testes rápidos no Distrito Federal


Daniela Lima
Por Daniela Lima, CNN  
02 de setembro de 2020 às 17:35 | Atualizado 03 de setembro de 2020 às 11:03

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler enviou medida cautelar para que o governo do Distrito Federal pare de repassar dinheiro à empresa Biomega Medicina Diagnóstica, vencedora de licitação com o governo do DF para a venda de 100 mil testes rápidos. A informação é da âncora Daniela Lima.

O tribunal apura indícios de pagamento indevido, suspeita de fraudes e de direcionamento da licitação vencida pela Biomega. Zymler reconhece que há sinais de fraude na concorrência de R$ 29 milhões. 

Leia também

Governos gastaram R$ 13 bi em contratos contra Covid-19, a maioria sem licitação

Aplicativo do HC de SP vai monitorar testes e sintomas de Covid-19

PGR pede ao STF que Queiroz e Márcia voltem à prisão

Medida cautelar do ministro do Tribunal de Contas da União, Benjamin Zymler, par

Medida cautelar do ministro do Tribunal de Contas da União, Benjamin Zymler, para que o governo do Distrito Federal pare de repassar dinheiro para a Biomega (02.set.2020)

Foto: CNN Brasil

O TCU mandou que a Biomega e o governo do DF prestem esclarecimentos sobre o suposto direcionamento das licitações. 

A decisão já está em vigor e será discutida pelo plenário do TCU na próxima semana. A investigação é desdobramento da Operação Falso Positivo.

Outro lado

Os advogados da Biomega enviaram uma nota sobre o caso para a CNN:

A Biomega participou de um processo licitatório com outras empresas e venceu pelo menor preço.

A empresa informa que é um laboratório de análises clínicas, e não uma distribuidora de testes. Também não vendeu kits para testagem, mas sim a prestação de serviços para análise e determinação de laudos de exames laboratoriais referentes à Covid-19.

Quanto aos insumos usados na prestação do serviço, esclarece que todos os testes utilizados nos serviços contratados pelo Governo do Distrito Federal têm aprovação da Anvisa.

A empresa está analisando a representação do MP e os documentos, que são muitos. Declara já ter constatado que há enormes distorções na acusação à Biomega, e que a empresa prepara sua defesa.


(Edição: Sinara Peixoto)