Ainda não é seguro reabrir escolas, diz secretário municipal de Educação de SP

O governo de São Paulo estima que 128 das 645 cidades do estado vão retomar as aulas presenciais parcialmente nesta terça (8)

Da CNN, em São Paulo
07 de setembro de 2020 às 22:58

O secretário municipal de Educação de São Paulo, Bruno Caetano, afirmou em entrevista à CNN nesta segunda-feira (7) que a prefeitura da capital paulista não autorizou o retorno às aulas presenciais por ainda não ser seguro. O governo de São Paulo estima que 128 das 645 cidades do estado vão retomar as aulas presenciais parcialmente -- para atividades extracurriculares e reforço -- a partir desta terça (8).

Segundo Caetano, a prefeitura da cidade aguarda um inquérito sorológico que será concluído no dia 20 deste mês para permitir as aulas presenciais nas instituições públicas e privadas. “A partir daí tomaremos a decisão para garantir segurança aos educadores, às famílias e à sociedade”, disse.

Os critérios utilizados para o retorno serão a taxa de contaminação e transmissão do vírus na cidade e o número de óbitos. “Quando tivermos segurança de que esses números estão caindo será seguro para todos nós abrirmos as escolas”, afirmou Caetano.

O retorno efetivo das aulas, dentro do calendário escolar, está previsto para ocorrer em 7 de outubro. De acordo com o secretário, as instituições estão sendo organizadas para que isso ocorra: estão trabalhando para que sejam totalmente higienizadas, que haja máscaras disponíveis para todos, além de terem contratado mais de 3 mil novos educadores.

Assista e leia também:

Com feriado, SP tem isolamento social mais baixo desde o início da quarentena

Estado de SP registra quarta semana seguida de queda nas mortes por Covid-19

Do transporte ao intervalo: governo de SP define diretrizes para volta às aulas

Bruno Caetano, secretário municipal de Educação de São Paulo
Foto: CNN (07.set.2020)

“Na rede municipal de ensino, cerca de 3 mil educadores têm mais de 60 anos, e a gente sabe que eles não poderão retornar aos trabalhos presenciais antes da vacina”, disse.

Caetano ainda falou que quando as aulas forem retomadas, serão aplicadas provas para saber exatamente o que cada estudante aprendeu. “Para que a gente possa fazer um trabalho intensivo ainda em 2020, mas também e principalmente em todo o ano de 2021”, concluiu.

O Ministério da Saúde confirmou nesta segunda um total de 10.273 novos casos e de 310 novas mortes em decorrência da Covid-19. Com isso, o país acumula 4.147.794 casos e 126.960 mortes.

São Paulo continua sendo o estado com o maior número de casos confirmados no Brasil: 857.330 mil diagnósticos e 31.377 mil mortes pela doença.