Passageiro é retirado de voo pela PF por ofensa homofóbica contra comissários

A Latam afirma que repudia qualquer tipo ofensa

Giulia Alecrim e Julyanne Jucá Da CNN, em São Paulo
16 de setembro de 2020 às 14:28 | Atualizado 16 de setembro de 2020 às 19:35

Um homem foi retirado pela Polícia Federal de um voo que partia de São Paulo, do aeroporto de Guarulhos, para Fortaleza, depois de ter ofendido comissários com ofensas homofóbicas.O caso ocorreu durante a preparação de um voo da Latam na segunda-feira (14).

Os funcionários da Latam solicitaram ajuda da PF, que entraram na aeronave e retiraram o passageiro. Depois do episódio, o voo seguiu para seu destino final.

Leia também:

Passageira abre porta de emergência de avião e anda sobre asa para 'tomar um ar'

Passageiros sem máscaras podem ser retirados de voos, diz associação das aéreas

Segundo testemunhas, o passageiro não teria obedecido as normas de segurança para a decolagem, que são repassadas pelos comissários de bordo, e passou a proferir ofensas contra os tripulantes. Os demais passageiros também registraram cenas de resistência e xingamentos.

De acordo com o relato de uma testemunha para CNN, o comissário pediu para que o passageiro colocasse a cadeira na posição vertical no momento de decolagem da aeronave. O rapaz ignorou e não respondeu ao comando. Quando o comissário pediu o alinhamento pela segunda vez, o rapaz o chamou de "bosta" e depois murmurou uma ofensa homofóbica.

O comissário reportou o acontecimento à seu superior, que pediu mais uma vez para que o passageiro colocasse a poltrona na posição vertical. Novamente, o rapaz não atendeu ao pedido.  

Quando perguntado pelo comissário chefe sobre o acontecimento, o passageiro não negou e nem afirmou ter cometido o ato de homofobia. A Polícia Federal foi então chamada para retirá-lo do avião. 

Em nota, a Latam Airlines disse que "repudia veementemente qualquer tipo de ofensa e reitera que qualquer opinião que contrarie o respeito não reflete os valores e os princípios da empresa".