Festa clandestina com 350 pessoas em lanchas é interrompida no Guarujá (SP)

Prefeitura recebeu denúncias de aglomeração na Praia da Enseada

Julyanne Jucá e Fabrício Julião, da CNN, em São Paulo
18 de setembro de 2020 às 11:23 | Atualizado 18 de setembro de 2020 às 18:05

Uma festa rave clandestina no mar do Guarujá, litoral de São Paulo, realizada nessa quinta-feira (17), foi interrompida pela prefeitura após denúncias de aglomeração, em meio à pandemia de Covid-19.

O evento ocorreu na Praia da Enseada e contou com cerca de 350 pessoas que estavam em iates, lanchas e motos aquáticas.

De acordo com a prefeitura, foram enviados ao local membros da Força-Tarefa, Guarda Civil Municipal (GCM), fiscais e policiais militares para impedir a festa. 

Assista e leia também:
Polícia flagra festas clandestinas com quase 500 pessoas em chácaras em Goiás
Festas clandestinas durante a pandemia desafiam fiscalização
Mercado ilegal promove festas clandestinas com requintes profissionais em SP

Festa contou com cerca de 350 pessoas que estavam em iates, lanchas e motos aquáticas
Foto: Reprodução / Jimmi Drone Guarujá

A Capitania dos Portos de São Paulo informou que tomou conhecimento do evento na tarde do dia 17 e enviou duas equipes de Inspeção Naval ao local para cumprimento da Lei n 9.537, de 11 de dezembro de 1997. Ela dispõe sobre a Segurança do Tráfego Aquaviário e das Normas da Autoridade Marítima. 

Fiscais da Capitania retiraram as pessoas do mar para fazer as autuações. Ao chegarem à areia, as equipes dispersaram os indivíduos e apreenderam bicicletas. Eles também identificaram uma marina que locou embarcações e será "devidamente responsabilizada conforme os decretos". A multa para o descumprimento da lei varia de R$ 300 a R$ 9 mil.

Segundo a Marinha, a ação de fiscalização permaneceu em andamento zelando pela Salvaguarda da Vida Humana no mar, assim como a prevenção da poluição hídrica.

Prefeitura recebeu denúncias de aglomeração na Praia da Enseada, no Guarujá
Foto: Reprodução / Jimmi Drone Guarujá