Força-tarefa de Curitiba diz ter 10 novas fases planejadas para a Lava Jato

Entre casos com potencial de virar operações estão investigações de lavagem de dinheiro em galerias de arte e suspeitas de corrupção na Assembleia do Parará

Agência Estado
19 de setembro de 2020 às 12:24
Lava Jato: quatro novas fases estão prontas para serem deflagradas, com ordens de prisões, buscas e apreensões e quebras de sigilos da Justiça
Foto: Reprodução/CNN (9.set.2020)

No documento em que pediu a prorrogação da operação Lava Jato por mais um ano, a força-tarefa de Curitiba afirma que planeja deflagrar ao menos 10 novas fases nos próximos meses e oferecer 15 denúncias criminais.

Entre os casos que a equipe considera com "alto potencial" de resultar em novas operações e denúncias estão os que investigam desde lavagem de dinheiro em galerias de arte até suspeitas de corrupção na Assembleia Legislativa do Paraná.

Leia também:
OAB pede ao Supremo anulação de ação da Lava Jato sobre Sistema S
STF manda Bretas se manifestar em cinco dias sobre Operação E$quema S

Quatro novas fases estão prontas para serem deflagradas, com ordens de prisões, buscas e apreensões e quebras de sigilos da Justiça. O foco é o mesmo: políticos, funcionários públicos, empresários, operadores financeiros, entre outros.

Delações

Sem entrar em detalhes ao justificar a prorrogação da Lava Jato, a força-tarefa afirma que está em meio a cinco negociações de delações premiadas, e que essas tratativas podem abrir ao menos 40 novas frentes de investigação, além das centenas de apurações abertas.

O ofício lista as frentes que, segundo os procuradores, merecem destaque: "corrupção envolvendo agentes ligados a diferente áreas da Petrobrás, como a financeira e as ligadas à comercialização de combustíveis; corrupção envolvendo agentes ligados à Transpetro; lavagem de dinheiro envolvendo galerias de arte, instituições financeiras, empreiteiras; corrupção envolvendo agentes ligados à improbidade administrativa envolvendo pessoas politicamente expostas; e responsabilização civil de diversas pessoas jurídicas beneficiárias de atos de corrupção e lavagem de dinheiro, incluindo algumas multinacionais".

(As informações são do jornal O Estado de S. Paulo)