Cariocas recebem primavera debaixo de forte chuva

Cidade está em estado de atenção desde manhã

Isabelle Saleme, da CNN, no Rio de Janeiro
22 de setembro de 2020 às 15:49 | Atualizado 22 de setembro de 2020 às 15:50
Alagamento na zona sul do Rio de Janeiro após temporal
Foto: Estefan Radovicz/O Dia/Estadão Conteúdo (22.set.2020)

A primavera é a estação das flores mas começou, nesta terça-feira (22), com muita água no Rio de Janeiro.

Pouco depois das 8h a cidade entrou em estágio da atenção, o terceiro numa escala de cinco. Isso ocorre quando um ou mais eventos impactam o município, afetando a rotina da população.

Em duas estações pluviométricas da cidade, choveu mais em um dia do que estava previsto para o mês inteiro.

Ventos fortes derrubaram árvores. A Lagoa-Barra, importante ligação entre as zonas sul e oeste do Rio, foi parcialmente interditada. O trânsito ficou confuso em diversos locais e pontos de alagamento também tumultuaram a manhã do carioca.

Leia também:

PGR é contra a volta às aulas na rede privada de ensino no Rio

CNN anuncia debates entre candidatos a prefeito do Rio

A sirene da Rocinha, foi acionada para alertar sobre o risco de deslizamentos. Bolsões d’água foram registrados na comunidade da zona sul e no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste.

O aeroporto Santos Dumont chegou a ficar fechado por dez minutos, e dois vôos foram cancelados.

A Defesa Civil municipal recebeu 56 chamados desde a noite desta segunda (21), por ameaça ou desabamento de estrutura, imóveis com rachaduras e infiltrações, ameça ou deslizamento de encosta, queda de muro ou revestimento e uma ameaça de rolamento de pedra.

Com a previsão de tempo instável até pelo menos quinta-feira (24), a orientação é para que os moradores redobrem a atenção.

A primavera chegou oficialmente às 10h31 desta terça-feira e vem acompanhada do fenômeno La Niña, que esfria o Oceano Pacífico e modifica os padrões de chuva e temperatura nas regiões. Na região sudeste do país, deve chover mais do que o normal para os próximos meses.