Enem: inscritos devem completar o cadastro até 1º de outubro

Pela primeira vez, o exame tornou obrigatório inserir uma foto do candidato no cadastro; imagem deve atender as exigências publicadas pelo Inep

Luana Franzão*, da CNN, em São Paulo
28 de setembro de 2020 às 11:41 | Atualizado 28 de setembro de 2020 às 14:28

Estudantes que se inscreveram no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) deste ano devem inserir uma foto no site da prova. A atualização deve ser feita até 23h59 do dia 1º de outubro, quinta-feira. Para cumprir a exigência, o candidato deve acessar a Página do Participante, no site do exame.

Não são permitidas fotos que não mostrem o rosto inteiro do candidato. Além disso, não são permitidos acessórios como óculos escuros, bonés, chapéus, gorros e similares. O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) também pediu que a foto tivesse 'boa iluminação' e foco. 

A exigência de foto não era adotada pelo Enem até a edição presente, mas já existia em algumas provas de vestibulares, como a Fuvest, método de ingresso da USP (Universidade de São Paulo).

Leia também:
Enem seriado: veja o que muda na aplicação das provas e obtenção das notas
Enem 2020 será impresso em gráfica onde prova vazou em 2009
Por calendário, Unicamp não vai usar Enem como processo seletivo em 2021

Novidades

Tela de entrada do aplicativo do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil (28.mai.2020)

O Enem 2020 vai trazer muitas diferenças em relação aos anos anteriores. Uma das principais novidades é a prova digital. O exame poderá ser feito de forma virtual pelos participantes que escolheram essa opção na inscrição da prova. A ideia é que o exame passe a ter quatro opções de datas futuramente e a prova impressa deixe de existir até 2026, segundo o Ministério da Educação.

Outra mudança significativa foi o adiamento das provas em decorrência da pandemia do novo coronavírus. A avaliação, que geralmente acontecia em novembro, será aplicada em 17 e 24 de janeiro de 2021 em sua versão impressa, e em 31 de janeiro e 7 fevereiro, na versão digital.

A alteração aconteceu depois de ampla manifestação de estudantes e professores nas redes sociais, pedindo o adiamento do Enem por conta do cancelamento das aulas e das dificuldades de adaptação ao ensino à distância.

O Inep chegou a realizar uma consulta pública para que os alunos votassem nas datas que considerassem mais adequadas para o exame. O resultado apontou que a maioria dos estudantes preferia a aplicação em maio, mas a prova foi remarcada para janeiro.

*Sob supervisão de André Rigue