Luciano diz que, graças ao irmão Zezé, não se envolveu com drogas e bebidas

Luciano disse que, com a fama, surgiu também todo tipo de oportunidade. Alguma delas, segundo o cantor, poderiam ter atrapalhado o andamento da carreira

Marianne Bufalo*
27 de setembro de 2020 às 22:30
 
Foto: DOC. Filmes

Para os mais íntimos, Welson David. Para o Brasil, Luciano Camargo, da dupla Zezé di Camargo e Luciano. Com 30 anos de carreira e quase 100 músicas entre o primeiro e o terceiro lugar das mais tocadas nas rádios, Luciano teve que lidar com o sucesso repentino na juventude.

“Eu estava fazendo show para mais de 30 mil pessoas e tinha acabado de fazer 18 anos. Pira. Não tem quem não pire, né?”, conta.

Para “não pirar”, relata o cantor, contou com a ajuda de Zezé, o irmão mais velho da dupla. “O meu irmão mais velho era, naquele momento, o pai que eu precisava”. 

Luciano disse que, com a fama, surgiu também todo tipo de oportunidade. Algumas delas, segundo o cantor, poderiam ter atrapalhado o andamento da carreira.

“Eu teria tudo pra virar o cara que está sempre bebendo, um cara que estaria sempre usando qualquer tipo de entorpecentes. Poderia ter ido por esse caminho, porque o sucesso, ele é muito atraente. E eu com 18 anos atraí muitas pessoas e pessoas que, naquela época, se eu tivesse me envolvido eu teria ido para um buraco. Mas, graças a meu irmão não (aconteceu)”, desabafa o cantor.

Zezé di Camargo e Luciano fazem parte das duplas que se consagraram na fase da “explosão” do sertanejo romântico no Brasil, em meados de 1990. 

Atualmente, Luciano tem planos de seguir com um projeto de música Gospel, mas garante que não vai abandonar a dupla. “É um trabalho paralelo. Eu estou colocando em prática esse sonho de gravar um CD Gospel, mas não vou deixar de ser Zezé di Camargo e Luciano, para cantar louvores”, afirma.

(*Da DOC. Films, especial para a CNN Brasil)