Parte de corpo é encontrada em Brumadinho mais de um ano após barragem romper

Onze vítimas continuam desaparecidas

Gabriel Passeri*, da CNN
29 de setembro de 2020 às 21:36 | Atualizado 30 de setembro de 2020 às 16:16

Uma parte de um corpo foi encontrado na tarde desta terça-feira (29) pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais em Brumadinho, um ano e oito meses meses após o rompimento da barragem da mineradora Vale, em janeiro de 2019.

Pela integridade da parte encontrada, os bombeiros acreditam se tratar de uma das 11 vítimas que continuam desaparecidas —chamadas de joias pela equipe de resgate. Os oficiais aguardam a confirmação do laudo pericial da Polícia Civil, relatou o sargento Miranda à CNN.

Leia também:

AGU e Vale chegam a acordo para pagamento de multa de R$ 250 mi por Brumadinho

Após 5 meses, Corpo de Bombeiros retoma buscas por desaparecidos em Brumadinho

O local onde a parte do corpo foi encontrada, na área nomeada Esperança II, a cerca de dois quilômetros do ponto de rompimento é um ponto de grande probabilidade para encontro dos corpos desaparecidos, segundo a corporação.

Desde o início das buscas, foram localizadas 259 vítimas. Um total de 59 militares e 128 máquinas estão empenhados na operação.

No início de setembro, as equipes encontraram uma caminhonete na mesma região. Segundo os bombeiros, os achados comprovam a eficácia dos estudos e planejamentos implementados nesta fase da operação.

As buscas em Brumadinho retornaram no dia 27 de agosto, após permanecerem interrompidas por cerca de cinco meses por causa da pandemia do novo coronavírus. A corporação acredita que concluirá a missão sem desaparecidos.

Decisão da Justiça do Trabalho

Na última sexta-feira (25), a Justiça do Trabalho determinou o pagamento de R$ 58 mil por danos morais a uma trabalhadora que fazia faxina na residência de vítimas de Brumadinho.

Na ação judicial, a faxineira alegou que ficou provado seu desequilíbrio mental, em consequência das perdas pessoais. Segundo ela, morreram na tragédia o coordenador da empresa terceirizada e outros empregados que eram seus amigos. Além deles, a faxineira afirmou que perdeu o sobrinho, que era empregado da Vale, e alguns vizinhos.

(*Com supervisão de Evelyne Lorenzetti)