Cielo vende fatia na Orizon para Bradseg por R$ 129 milhões


Natália Flach, da CNN, em São Paulo
01 de outubro de 2020 às 21:12
Presidente da Cielo, Paulo Rogerio Caffarelli

Paulo Caffarelli: "até pouco tempo atrás, tínhamos 18% de penetração [de antecipação de recebíveis] com os nossos clientes. Agora, já são 30%"

Foto: REUTERS/Paulo Whitaker

A credenciadora de cartões Cielo vendeu os 40,95% que detinha na Companhia Brasileira de Gestão de Serviços (Orizon) por R$ 129 milhões para a Bradseg. A operação se deu para que a Cielo possa concentrar seus esforços em adquirência.

"Quando entramos com a Bradesco Saúde e com a Cassi [plano de saúde dos funcionários do Banco do Brasil] em 2007, a nossa expectativa era que fizéssemos a parte do processamento de saúde, mas não aconteceu. Não há sinergia. Logo, éramos apenas sócios investidores", afirma Paulo Caffarelli, presidente da Cielo.

Leia também:
Cielo seleciona 21 startups para o seu programa de mentoria por inovação
Ação da Cielo dispara 16% com notícia de pagamentos via WhatsApp

Os recursos levantados com a venda vão para o caixa da companhia. O intuito é ter liquidez para fazer frente ao aumento de concessões de crédito a pequenas e médios varejistas principalmente que utilizam a modalidade de antecipação de recebíveis. 

"Até pouco tempo atrás, tínhamos 18% de penetração [de antecipação de recebíveis] com os nossos clientes. Agora, já são 30%", diz Caffarelli.