PF apreende 44 kg de ouro no combate a garimpos clandestinos no Pará

Além do ouro, os policiais apreenderam prata e dinheiro na casa de um dos investigados e quatro aeronaves em um hangar

Vianey Bentes, da CNN, em Brasília
09 de outubro de 2020 às 17:26 | Atualizado 09 de outubro de 2020 às 17:27
Ouro apreendido pela Polícia Federal na Operação Ouro Frio
Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal apreendeu nesta sexta-feira (9) 44 quilos de ouro em pequenas barras com valor estimado de R$ 14,8 milhões nos municípios de Santarém e Itaituba, no Pará.

A Operação Ouro Frio investiga a extração ilegal de ouro em garimpos clandestinos e a comercialização do metal. Além do ouro, os policiais apreenderam prata e dinheiro na casa de um dos investigados e quatro aeronaves em um hangar em Santarém.

A operação é um desdobramento da Verde Brasil 2, focada na proteção e preservação da Amazônia e de outros biomas. A expressão "Ouro Frio" faz referência a ouro de origem clandestina, sem documentação legal. 

Leia e assista também

Operação contra garimpo ilegal expõe conflito indígena e debate por regulação

MP, polícia e FAB combatem garimpo ilegal em aldeia indígena na Amazônia

Após críticas, governo retoma combate a garimpo ilegal em terra indígena no Pará

Para o delegado da PF, Érico Mello, a operação conseguiu reunir várias provas  como documentos e celulares. "A atividade garimpeira ilegal provoca danos ambientais e ameaça o desenvolvimento local", disse.

A PF utilizou 30 policiais para cumprir 8 mandados de busca e apreensão, e também de sequestro de bens. O Comando Conjunto Norte do Exército deu apoio logístico no transporte dos policiais até os municípios envolvidos na operação.