Alpinista morre e outro fica preso após pedra deslizar em serra de SC

O incidente ocorreu após uma pedra deslizar do Cânion Espraiado, fazendo com que os dois ficassem presos a aproximadamente 200 metros de altura

Pedro Teodoro, Henrique Andrade e Julyanne Jucá, da CNN
12 de outubro de 2020 às 12:09 | Atualizado 12 de outubro de 2020 às 12:53
Homem de 39 anos morreu após ser atingido por pedra na cabeça
Foto: Polícia Militar de Santa Catarina/Divulgação

Um alpinista morreu e outro ficou preso na manhã do último domingo (11) no município catarinense de Urubici. O incidente ocorreu após uma pedra deslizar do Cânion Espraiado, fazendo com que os dois ficassem presos a aproximadamente 200 metros de altura do ponto mais alto de um paredão.

A Polícia Militar usou um helicóptero na operação de resgate. O empresário e praticante de ecoturismo Lucas de Zorzi, de 39 anos, foi atingido na cabeça, ficou inconsciente e morreu. Com o acidente, o homem que estava com ele não conseguiu se mover do paredão e foi resgatado com “apenas alguns arranhões”, segundo a equipe de resgate. 

Leia também:
Incêndio na Chapada dos Veadeiros termina após 16 dias
Lobo-guará, símbolo da nota de R$ 200, é resgatado ferido em cidade mineira

O corpo do atleta foi transportado pela PM-SC até a cidade vizinha de Lages. Não há mais informações sobre o estado de saúde do outro alpinista resgatado.

Urubici é um município de Santa Catarina com atividades de ecoturismo. Segundo a secretaria de turismo da cidade, cerca de 120 mil turistas frequentam anualmente os pontos turísticos da região.

O resgate

À CNN, o capitão do 5º Batalhão de Aviação da Polícia Militar, Jacques Martins, detalhou, nesta segunda-feira (12), a ação para recuperar o corpo e resgatar o outro alpinista. 

"Foi um resgate muito difícil e precisamos empregar a aeronave com uma técnica de rapel para tirar os dois alpinistas. Um deles, infelizmente, teve o óbito constatado no hospital", detalhou. 

O capitão descreveu que o acidente ocorreu enquanto ele estavam subindo o paredão, e uma pedra rolou sobre eles. Segundo o policial, o alpinista que sobreviveu estava bem fisicamente, mas abalado psicologicamente.

"Ele ficou preso pela corda e teve contato visual a todo momento com a vítima, que estava inconsciente", relatou. "Ele acompanhou o resgate e ficou aguardando [a vez dele], então imagina o desespero. O estado de saúde era bom, mas o psicológico estava muito abalado", acrescentou.