RJ: Esquema de segurança para eleições terá 30 mil policiais, blindados e drones

Pelo menos 16 veículos blindados da PM e dois da Polícia Civil foram disponibilizados; eles vão ser usados, inclusive, para o transporte de urnas

Isabelle Saleme, Pauline Almeida e Myllena Guedes, da CNN, no Rio de Janeiro
14 de novembro de 2020 às 15:42 | Atualizado 14 de novembro de 2020 às 16:43

 

Mais de 30 mil policiais foram escalados para atuar, neste domingo (15), no esquema especial de segurança montado para as eleições no Rio de Janeiro. Esse foi o tema de uma reunião, na manhã deste sábado (14), entre o presidente do Tribunal Regional Eleitoral no estado, desembargador Cláudio Brandão de Oliveira, a cúpula da segurança pública e representantes do Ministério Público Eleitoral.

O desembargador Cláudio Brandão de Oliveira confirmou que o apoio das Forças Armadas  não foi solicitado em 2020, após após oito anos e quatro pleitos seguidos desde 2012.

Leia também:
Consumidor vai pagar por apagão no Amapá
Guedes: o plano A é o fim do auxílio emergencial e a volta do Bolsa Família

“A demanda pelas tropas federais seria o reconhecimento da incapacidade das forças de segurança do estado em atuar no processo eleitoral. Mas o governo do Rio de Janeiro garantiu que as polícias Militar e Civil estão aptas a atender a demanda deste domingo”, afirmou o presidente do TRE-RJ.

O secretário de Polícia Civil, Alan Turnowski, informou que 8 mil homens, divididos em dois turnos, vão atuar. A presença de comboios de viaturas será intensificada em áreas de milícia, especialmente na zona oeste do Rio de Janeiro, no bairro de Rocha Miranda, zona norte, e ainda na Baixada Fluminense. A Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) poderá ser acionada se houver necessidade.

Já a Polícia Militar escalou 22.036 homens, que estarão presentes nos 4.892 locais de votação, vias públicas e rodovias. Os policiais estão encarregados de escoltar as urnas eletrônicas e garantir a segurança dos polos eleitorais.

Segundo a corporação, o objetivo é atuar de forma preventiva e intervir com agilidade em caso de emergência. Haverá intensificação de equipes nos complexos da Maré, Alemão, Pedreira e Chapadão. 

Pelo menos 16 veículos blindados da PM e dois da Polícia Civil foram disponibilizados. Eles vão ser usados, inclusive, para o transporte de urnas até áreas consideradas de risco.

Ajuda do céu

A Polícia Militar ainda vai usar, pela primeira vez, drones pilotados por especialistas do Grupamento Aeromóvel (GAM). Os equipamentos vão sobrevoar bairros da Região Metropolitana e transmitir imagens em tempo real para os centros de operação instalados no Quartel General, no Centro Integrado de Comando e Controle e no Grupamento Aeromóvel.

Uma novidade é que as imagens também vão poder ser acessadas por meio de telefones celulares pelos comandantes dos batalhões. Por questão de segurança, o número das aeronaves remotas não foi divulgado.

Drones também vão ser utilizados pela Polícia Federal para coibir crimes eleitorais, como a boca de urna. Além disso, na capital, a Guarda Municipal vai dar apoio à segurança, com 960 agentes. Desse total, 520 vão atuar em 141 locais de votação definidos pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Outros 440 guardas, do Grupamento Especial da GM-Rio, darão apoio às unidades operacionais no entorno dos locais de votação. As equipes vão ter o auxílio de 58 viaturas e 12 motocicletas em todas as regiões da cidade. 

Fechando a integração das forças de segurança e judiciárias, a procuradora regional eleitoral, Silvana Batini. ressaltou que o Ministério Público Eleitoral trabalha em duas etapas.

Na primeira, anterior ao pleito, na retirada do processo eleitoral das pessoas impedidas pela legislação. No segundo, durante a campanha e eleições, para evitar possíveis abusos dos candidatos.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook