Número de escolas municipais fechadas no Rio chega a 272, aponta sindicato

Número corresponde a 17,6% da rede municipal de ensino, que conta com 1.543 unidades

Stéfano Salles, da CNN no Rio de Janeiro
27 de novembro de 2020 às 10:19 | Atualizado 27 de novembro de 2020 às 10:20
Sala de aula com distanciamento social no Rio de Janeiro
Foto: Reprodução - 19.out.2020 / CNN Brasil

O número de escolas municipais fechadas na capital do Rio de Janeiro passou para 272, de acordo com levantamento feito nessa quarta-feira (25) pelo Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe).

Na terça (24), eram 167, segundo o acompanhamento feito pela entidade de classe. O novo total representa 17,6% da rede municipal de ensino, que conta com 1.543 unidades. 

Assista e leia também:
Em 8 dias, pelo menos 70 escolas do Rio foram fechadas após casos de Covid-19
Com avanço da Covid-19, taxa de ocupação de hospitais no Rio de Janeiro preocupa
Alunos do nono ano voltam às aulas presenciais no Rio de Janeiro

Os professores da rede municipal estão em greve desde o dia 17 de novembro, quando foram convocados pelo município para a retomada das aulas presenciais para as séries terminais, quinto e nono anos e o módulo final do Ensino de Jovens e Adultos (EJA). O grupo conta com 61 mil alunos.

Os profissionais afirmam que não se negam a trabalhar, se recusam apenas a fazê-lo presencialmente durante a pandemia de Covid-19. O sindicato relatou também a falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) nas escolas. 

Outro lado

Procurada, a Secretaria Municipal de Educação informou que segue as orientações do Comitê Científico do Município e disse que não há casos de alunos contaminados. 

Ela afirmou ainda que os alunos que tiveram as aulas retomadas são de 427 unidades, e que 100 delas registraram casos de ao menos um profissional que teve contato com algum caso suspeito ou confirmado do novo coronavírus.

A secretaria destacou que, nesses casos, o funcionário é afastado, assim como todas as pessoas que estiveram com ele. O número do Sepe leva em conta unidades que voltaram também com expediente interno, não apenas com aulas presenciais. 

Segundo a secretaria, houve um redimensionamento dos espaços utilizados e disponibilização dos produtos necessários para a higienização pessoal e do ambiente, como máscaras, álcool em gel e sabonete líquido.

Após esta fase de prevenção, a escola é reaberta com os profissionais de educação em condições adequadas para a retomada das aulas. Durante o período em que a instituição fica fechada, os alunos recebem conteúdo pedagógico de forma remota, disse a pasta.