Advogado de jovem que acusa senador de estupro critica vazamento de imagens

Irajá Silvestre Filho (PSD-TO), filho da senadora Kátia Abreu, é acusado de violentar modelo de 22 anos; imagens mostram chegada dos dois a hotel

Juliana Elias, da CNN Brasil, em São Paulo
28 de novembro de 2020 às 22:06 | Atualizado 28 de novembro de 2020 às 22:17

 

O advogado Jair Jaloreto, que cuida do caso da jovem de 22 anos que acusa o senador Irajá Silvestre Filho (PSD-TO) de estupro, criticou em nota o  que chamou de "vazamento seletivo” de imagens dos dois na noite do ocorrido e afirmou que, abalada, ela não irá se pronunciar sobre o caso. 

A nota foi divulgada neste sábado (28) por Jaloreto e foi a primeira manifestação formal por parte da acusação desde que o caso veio à tona, no início da semana.

Leia também: 

Senador é acusado por modelo de estupro em São Paulo

Imagens mostram modelo e senador chegando a flat em SP

Em boletim de ocorrência registrado em São Paulo na noite de segunda-feira (23), a jovem acusa o senador pelo Tocatins de tê-la dopado no bar Café de La Musique, na capital paulista, e a levado a um flat, onde teria ocorrido o estupro

Irajá é filho da também senadora Kátia Abreu (PP-TO). Ele nega as acusações. 

Imagens reveladas neste sábado (28), dos circuitos de câmeras dos estabelecimentos, mostram o momento em que a jovem e Irajá chegam ao flat, na noite de domingo. Ela caminha com ele pela recepção e ele a leva para o elevador. A CNN teve acesso às imagens.

“Expressamos nossa indignação com o vazamento – seletivo – de imagens que fazem parte de um procedimento investigatório, que tramita em absoluto sigilo”, escreveu o advogado da modelo em seu comunicado. 

“Quanto ao teor das imagens, entendemos imprudente fazer qualquer juízo de valor a seu respeito antes da conclusão das investigações, pois tais filmagens (bem como outras provas, ainda não divulgadas pela imprensa) serão objeto de perícia”, continua.

Jaloreto também diz que sua cliente está profundamente abalada. “Profundamente abalada com todo o ocorrido e com a repercussão do caso, a vítima não se pronunciará sobre o assunto, tampouco concederá entrevista a qualquer veículo de imprensa.”

No boletim registrado, a mulher informa que estava na casa noturna com Irajá e um colega, perdeu a consciência e a recobrou já no quarto do flat, com o senador sobre ela.  

Irajá se defendeu das acusações em nota: “Não cometi ilícito algum e estou à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários”, declarou.